“A liderança é conquistada dentro de campo”

Com apenas 20 anos, Sérgio Vieira decidiu pendurar as chuteiras e abraçar o banco. Na altura, foi desafiado por um dos seus colegas de campo a tirar o curso de treinador e iniciar carreira na formação da Académica de Santarém. Desde então, Sérgio tem seguido um percurso feito por “momentos memoráveis, quer pela positiva ou pela negativa”, que o levaram recentemente à Academia Spanish Soccer School, no Dubai, onde trabalha com um dos melhores “laterais direito” do Mundo, jogador do Real Madrid e da Selecção de Espanha – Michel Salgado

Quem é o Sérgio Vieira e quando começou a ligação ao Futebol?Sou uma pessoa simples, humilde, sempre bem-disposto e cheio de energia para ultrapassar as dificuldades da vida. A paixão pelo futebol começou desde muito cedo, a partir dos 14 anos quando fui jogar para a Académica de Santarém, a paixão e a dedicação foi subindo a cada treino a cada jogo, a cada momento vivido no futebol.

Como foi o seu percurso até a este momento?Foi feito de momentos memoráveis quer pela positiva ou pela negativa, o que é importante é ter conseguido tirar sempre lições para a vida.

PUBLICIDADE

Porque abraçou tão cedo o banco?Abracei esta experiência pela primeira vez aos 20 anos, na altura jogava futebol e um dos meus colegas de equipa desafiou-me a ir tirar o curso de treinador, para ir trabalhar com ele na formação da Académica de Santarém.

A experiência como jogador é fundamental para a função de técnico?Não digo que seja fundamental, até porque existem muitos bons treinadores que não foram jogadores. Mas pode ajudar em algumas circunstâncias.

Actualmente, está na Academia Spanish Soccer School, no Dubai. Qual 
foi o seu primeiro impacto aquando da chegada? 
Foi um sentimento de muita alegria, senti que finalmente me deram a oportunidade de trabalhar e fazer o que gosto. Trabalho com um dos melhores “laterais direito” do Mundo, jogador do Real Madrid e da Selecção de Espanha – Michel Salgado. Só posso estar satisfeito.

Qual o ambiente que encontrou e como foi recebido? Encontrei um ambiente de trabalho muito bom e visto que também sou uma pessoa esforçada nos projectos que me meto, penso que acabou por ser bom, para todos os colegas me receberem bem.

O trabalho de um treinador é muito extenso, mas pode ser orientado com  base em filosofias e ideias. No seu ponto de vista e de forma geral, 
quais filosofias deve seguir um treinador? 
Penso que o mais importante é saber o que queremos e para onde queremos ir, cada um tem a sua ideia, e neste ponto é muito discutível, penso que não existe a certeza de nenhuma decisão que possamos vir a tomar, apenas cada um de nós tem os seus valores e esses valores podem ser importantes para tomar as decisões mais acertadas consoante a forma de pensar e de agir de cada pessoa.

Qual o momento do jogo em que investe mais tempo de preparação? E porquê? Existem dois pontos importantes que ocupo o mesmo tempo o Técnico-táctico e o psicológico da equipa. Repare o Técnico-Táctico é onde colocamos as nossas ideias dentro de campo, para os jogadores ganharem confiança para o jogo, o Psicológico vai ser o suporte da equipa em momentos de desvantagem, vai ser o ponto que vai dar a força, a resistência, a velocidade aos jogadores, é importante transmitir aos jogadores a percepção de que conseguem ultrapassar qualquer dificuldade do jogo. Se assim for estamos sempre mais perto da vitória.

Muitos treinadores acreditam que deve ser mantida uma certa distância entre treinador e jogador, outros acreditam que deve existir um equilíbrio, onde a ideia do jogador é fundamental. Em que ficamos?Na minha opinião tem de existir um equilíbrio. A ideia do jogador é sempre importante, eles são as peças fundamentais do jogo, eles têm de ter o seu espaço para comunicar com o treinador, de forma a que o treinador também consiga perceber e conhecer o jogador em todos os momentos, isso vai contribuir para o sucesso da equipa.

E quais são os aspectos que considera mais importantes para formar a 
base de uma boa organização?A Humildade o Respeito e o Trabalho.

Qual é mais importante: a formação de um modelo de jogo em função dos jogadores, ou a formação de um modelo de jogo em função da competição? Ou os dois? E Porque?
Na minha forma de ver o futebol, tens de ter um modelo de jogo bem trabalhado, isso vai ser o mais importante. Porque se tiveres o teu modelo de jogo bem trabalhado, vais estar preparado para disputar qualquer competição.

Como podemos definir o trabalho do treinador? É apenas uma profissão como outra qualquer, ou é um estilo de vida?Estilo de vida para mim nem é forma de ver nem olhar. Considero que seja das profissões mais difíceis, é o lema do futebol, passas de bestial a besta em muito pouco tempo. Mas tem uma adrenalina, que não te sei explicar, por vezes são noites em branco a pensar no que aconteceu de menos positivo ou a pensar no que de bem correu e de que forma ainda podes melhorar. É futebol.

Sendo uma questão comum aos treinadores mais novos, como podemos definir a liderança? A liderança é conquistada dentro de campo, na forma como trabalhas, na forma como deixas que os outros percebem as tuas capacidades nos treinos, no empenho, na forma como ouves mas sobretudo como os outros te ouvem, isso vai contribuir para te tornar um bom líder, sem ninguém pensar na idade que tens.

Que referências tem para a sua carreira de treinador?As minhas referências são sempre os melhores, aqueles que já atingiram os melhores resultados do Mundo do futebol. Não são apenas referências como são fontes de aprendizagem. Na minha idade tenho a consciência que existe ainda uma grande margem de evolução, e isso faz-se tomando como exemplo os melhores. Mas tenho dois treinadores, que vão servir sempre como exemplo. O meu Pai e o meu Sogro dois homens que são exemplo para uma vida.

Gostava de ser como Mourinho, treinar um grande antes dos 40 anos e 
ganhar títulos?
Se respondesse o contrário estaria a mentir à grande. Mourinho é uma referência para qualquer treinador. Atingir esse feito antes dos 40 seria muito bom e seria um sonho realizado.

Onde se vê daqui a cinco anos? Bem talvez seja esta a pergunta mais complicada. O meu empresário é muito optimista, pretende que dentro de muito pouco tempo eu esteja numa grande equipa dos Emirados. Mas eu sou mais modesto, vejo-me a treinar, vejo-me ligado ao meu mundo aos meus sonhos aos meus objectivos. Daqui a cinco anos terei todo o gosto de responder se cheguei onde quero. Combinado?…


PUBLICIDADE

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS