Actividade assistencial dos Hospitais do Médio Tejo regista novo aumento em Julho

O Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) continua de forma progressiva a sua retoma da actividade assistencial, tendo registado em Julho um aumento da actividade em todas as valências da prestação de cuidados de saúde.

Segundo o CHMT, foram realizadas mais consultas, mais cirurgias, mais atendimentos no Serviço de Urgências, mais sessões de Hospital de Dia e houve também mais internamentos. Desde Maio que o CHMT, mês após mês tem vindo a aumentar a sua actividade assistencial.

Durante esta retoma da actividade clínica tem sido garantidas as condições de segurança para os doentes e para os profissionais de saúde, com a definição de circuitos e cumprindo as regras de proteção estabelecidas pela Direção Geral de Saúde.

PUBLICIDADE

As consultas médicas, no mês de Julho, tiveram um acréscimo de 12% face ao mês de Junho. No mês de Julho foram realizadas um total de 13 634 consultas, mais 1.514 do que as consultas realizadas no mês de Junho. No âmbito da actividade cirúrgica programada foram realizadas no mês de Julho, 529 cirurgias, a que acrescem 129 cirurgias urgentes num total de 658 realizadas.

As sessões de hospital de dia realizadas, neste mês de Julho, tiveram um aumento de 14 por cento, com um total de 2.403 sessões realizadas. O internamento teve um acréscimo de 9% face ao mês de Junho, com um total de 1.097 internamentos. O número de atendimentos nos diferentes serviços de urgência do CHMT tiveram, também, um aumento de 16% no mês de Julho, face ao mês de Junho, com um total de 8.837 atendimentos.

Apesar desta retoma progressiva da actividade assistencial apresentar um aumento, estes números continuam, no entanto, a evidenciar uma redução significativa face ao período homologo de 2019. Fenómeno que é transversal a todo o Serviço Nacional de Saúde e consequência do estado de Pandemia que ainda se atravessa.

O Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Médio Tejo, EPE, reforça o apelo à população do Médio Tejo para que “não receie deslocar-se ao Hospital para a realização de consultas, exames ou quaisquer outros actos clínicos, de forma a que a condição de saúde dos cidadãos não sofra qualquer tipo de agravamento”.

“Os circuitos estão perfeitamente definidos e garantem a segurança dos doentes e dos profissionais de saúde do CHMT. É seguro para os cidadãos deslocarem-se aos hospitais para realizarem a actividade que têm programada”, afirma Carlos Andrade Costa, presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Médio Tejo.

PUBLICIDADE

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS