A Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão com Deficiência Mental (APPACDM) de Santarém de Santarém assinalou hoje, dia 03 de Março, os seus 50 anos de serviço à comunidade numa cerimónia que decorreu na Sé Catedral de Santarém.

Luís Amaral, presidente da instituição, deixou votos que a instituição, “todos os que aqui trabalharam e os que continuam a trabalhar, possam criar um novo caminho de esperança, sem Covid, com saúde, e com projectos a realizar para o bem das pessoas que precisam dos serviços que prestamos, numa óptica que é a participação na sociedade, em que estes cidadãos se possam integrar, com todos os seus direitos de plena cidadania e que, ainda hoje, infelizmente, apesar do caminho muito grande que já foi feito, não lhes são completamente reconhecidos”.

Para Ricardo Gonçalves, a APPACDM é “como uma família que nos dá lições todos os dias de como se deve fazer e fazer bem; são 50 anos de amor e de missão”.

O presidente agradeceu ainda, em nome de Santarém, o trabalho efectuado por esta instituição com a entrega de uma placa comemorativa dos 50 anos da instituição.

Durante a cerimónia foi lida uma mensagem de Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República, que, para além de parabenizar a associação, realçou a importância da criação da APPACDM “que nasceu enquadrada no que era então uma única instituição nacional que se dispunha a olhar para a diferença e a integrá-la no quotidiano da nossa realidade. Foi um movimento que alastrou a todo o país e se foi autonomizando, com respostas locais e de proximidade, como é o caso da valência da APPACDM de Santarém”.

No evento foram também homenageados quatro colaboradores da instituição, uma pelos 25 anos de serviço à associação e três pela sua aposentação.

A Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão com Deficiência Mental é uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) e foi fundada em 1972. O seu primeiro Centro (o 8º a nível nacional) abriu as portas em 2 de Fevereiro de 1973. Este Centro destinava-se a crianças portadoras de deficiência mental, não integráveis no ensino regular e iniciou as suas actividades com um grupo de 10 crianças de ambos os sexos, com deficiência mental, numa casa de habitação com a área aproximada de 200 m2 situada na Calçada de Mem Ramires.

Face às inúmeras inscrições de alunos, a Instituição viu-se obrigada a constantes adaptações e a alargar progressivamente a sua capacidade para 50 utentes, apesar das precárias condições das instalações. Em 1977, a Delegação encetou negociações com a Congregação das Irmãs do Santíssimo Salvador para compra da Quinta Nossa Senhora do Rosário, situada no Vale de Santarém. A 3 de Março de 1980, passou a Instituição a funcionar nestas novas instalações, adaptadas para o efeito, com a colaboração da Câmara de Santarém. Dado que os utentes eram oriundos de vários concelhos do Distrito, a criação de um Lar de Apoio foi um imperativo. Abriu, nesse mesmo ano, a 16 utentes de ambos os sexos, residentes em lugares com dificuldades de transporte diário, funcionando de Segunda a Sexta-feira. No ano seguinte novo desafio nos era lançado.

A necessidade de integração, o mais precocemente possível, das crianças com deficiências, levou a abrir, em Junho de 1981, o Jardim de Infância “A Joaninha”. “A Joaninha” iniciou as suas actividades com um grupo de 20 crianças de ambos os sexos, com idades compreendidas entre os 2 anos e 6 meses e os 7 anos, integrando 1/3 de crianças com deficiência mental. Em 26 de Julho de 1984 foi assinado um protocolo com o IEFP para a criação da valência Pré-Profissional nas áreas de: agro-pecuária, argilas, carpintaria, encadernação, metais e têxteis.

Para os jovens com mais de 16 anos e sem possibilidade de integração na Pré-Profissional, foi criada a valência denominada Centro de Apoio Ocupacional, em Setembro de 1984. Esta valência permitiu um atendimento mais adequado às suas necessidades e capacidades. Decorridos 17 anos, a Delegação de Santarém, tinha utentes com 27 anos de idade e mais velhos. Existiam, igualmente, pedidos de admissão de adultos que tinha perdido os seus familiares directos.

A abertura de uma Lar Residencial na Av. dos Combatentes, em Santarém, com o apoio do Centro Regional da Segurança Social e da Santa Casa da Misericórdia de Santarém e com capacidade de atendimento para 12 utentes, em 7 de Fevereiro de 1990, permitiu dar resposta a estas situações de grave carência familiar. Também em 1990, deu-se início aos cursos de Formação Profissional subsidiados pelo IEFP, nas áreas de: ajudante de cozinha, serralharia, carpintaria, encadernação, ajudante de jardinagem.

Em 2000, a APPACDM de Santarém que até então era uma delegação da APPACDM (Instituição Nacional), passou a ser autónoma. A Associação cresceu, o número de utentes aumentou, outras áreas de intervenção tiveram de ser abrangidas.

O Projecto de Intervenção Precoce de Santarém – PIPS – iniciado em 2001, passou a valência em Dezembro de 2003. Em Fevereiro de 2003 foi inaugurado um novo Centro de Actividades Ocupacionais, o CAO Aristides Graça. Em 6 de Dezembro de 2005, iniciou actividades a Residência VAU, uma Unidade de Vida Autónoma.

Para além destas valências, é preocupação desta Associação a promoção de actividades culturais, desportivas e lúdicas integradoras e promotoras de bem-estar físico e social e, neste momento, dá resposta e apoio regular a meio milhar de pessoas, nos concelhos de Santarém e Cartaxo.

Leia também...

Músico dos Santos & Pecadores morre vítima de acidente de trabalho em Tremez

Rui Martins, um dos músicos da banda Santos & Pecadores, morreu na…

Alterações ao Código da Estrada entram em vigor amanhã com multas agravadas

As alterações ao Código da Estrada aprovadas em Novembro entram na sexta-feira,…

PSP apreende mais de 250 de aves na Avisan

Levantados três autos de contra-ordenação.

Homem morre esmagado em acidente de trabalho em Alpiarça

Um homem morreu num acidente de trabalho, esmagado por uma máquina de…