ASPA: Abandono de animais continua à revelia da lei

A lei que criminaliza os maus-tratos e abandono de animais tem três anos. Mas, na prática, tem produzido efeitos ténues: os problemas não acabam por decreto.

No concelho de Santarém, paredes-meias com o canil municipal, o da Associação Scalabitana de Protecção Animal (ASPA) assume-se como o “último refúgio” para cães e gatos abandonados e vive diariamente com dificuldades: o espaço está a “rebentar pelas costuras”, como afirmou ao Correio do Ribatejo Pedro Pinto, responsável da associação.

“Por mais campanhas de adopção que se façam, há cada vez mais abandonos”, afirma, acrescentando que muitas vezes “são deixados animais atados ao portão das instalações”.

A instituição zoófila só tem capacidade para albergar novos ‘inquilinos’ à medida que vai encontrando famílias de acolhimento, o que não tem acontecido com a frequência desejada.

O Correio do Ribatejo foi visitar as instalações da associação e conversou com o presidente da mesma, Pedro Pinto, bem como com Manuela Grilo, vogal da direcção e com a voluntária Elisabete Madeira.

Saiba como se pode tornar sócio da associação, patrocinador ou mesmo voluntário e ajudar nas tarefas diárias da mesma, bem como adoptar um dos animais. Faça uma visita às instalações da ASPA na Zona Industrial de Santarém e conheça o Tintim, o Pirata, o Becas e os seus muitos amigos. Quem sabe se o seu companheiro de quatro patas não está à sua espera.

info, , ,

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS