Autarcas do Médio Tejo desaconselham o recurso aos testes rápidos da covid-19

O uso de testes rápidos para a covid-19 está a preocupar os autarcas do Médio Tejo que se reuniram por videoconferência, no passada quinta-feira, 2 de Abril, para dar nota da informação do ACES Médio Tejo sobre estes testes.

Nessa reunião, a Unidade de Saúde Pública do ACES Médio Tejo informou que estes testes rápidos, que dão uma resposta em 10-15 minutos, não devem ser realizados na época que estamos a viver e poderão ser ser úteis para fins científicos, depois da pandemia.

O ACES Médio Tejo esclarece que se tratam de testes que detectam anticorpos (as nossas defesas) que só estão presentes no organismo do ser humano após 10 a 12 dias do contacto com o antigénio (agente agressor). Assim, os resultados negativos poderão dar uma falsa segurança em relação ao vírus COVID-19.

PUBLICIDADE

O ACES Médio Tejo apelou ainda a que todos permaneçam em casa, sair para o estritamente necessário e cumprir todas as medidas de confinamento social, higienização das mãos e superfícies e cumprir a etiqueta respiratória.

Também os autarcas do Médio Tejo referem que a sua preocupação está em encontrar soluções que mitiguem a pandemia e vão continuar em contacto permanente. Apelam ainda a que todos os cidadãos se mantenham informados, para que cumpram todas as recomendações da Direção-Geral de Saúde e para que seja mantida a serenidade neste momento difícil que o país atravessa.

PUBLICIDADE

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS