Bibliomóvel vai levar livros e serviços do Estado a lugares afastados do concelho de Almeirim

A Câmara de Almeirim vai inaugurar sábado uma biblioteca itinerante que é também um Espaço do Cidadão, a Bibliomóvel, que vai passar a circular pelo concelho, facilitando o acesso à leitura e aos serviços do Estado.

O projecto, que vai ser apresentado formalmente quarta-feira numa sessão com a presença da secretária de Estado da Inovação e Modernização Administrativa, Maria de Fátima Fonseca, vai levar, uma vez por mês e sempre ao sábado, livros e serviços como renovação da carta de condução ou do cartão de cidadão, registo criminal, assuntos da Segurança Social ou da ADSE, a “lugares mais pequenos e mais afastados” do concelho.

O presidente da Câmara Municipal de Almeirim (distrito de Santarém), Pedro Ribeiro, disse à Lusa que a Bibliomóvel se inspira “naquilo que eram as antigas bibliotecas da Gulbenkian” e na iniciativa “Livro à Porta”, desenvolvida no município durante o período de confinamento devido à pandemia da covid-19 e que “correu bastante bem”.

PUBLICIDADE

“Entendemos que o incentivo à leitura é fundamental, sobretudo nos tempos em que vivemos”, bem como “criarmos as condições” para levar “os serviços públicos junto das pessoas que vivem em lugares mais pequenos, mais afastados, e em horários diferentes” dos praticados nos Espaços Cidadão, que existem na sede de concelho e de cada uma das três freguesias rurais.

Além da Biblioteca Municipal Marquesa de Cadaval, existente na cidade de Almeirim, o município criou um polo em Fazendas de Almeirim, passando agora a levar livros a lugares como Tapada, Azeitada, Foros de Benfica, Benfica, Cortiçóis, Raposa, Paços dos Negros e Marianos, salientou.

Embora os Espaços Cidadão existam em cada sede de freguesia, Pedro Ribeiro realçou que, “muitas vezes, há dificuldade das pessoas em se deslocarem”, além de que os horários “são os normais laborais”.

“Esta é também uma forma de levarmos os serviços públicos junto das pessoas que vivem em lugares mais pequenos, mais afastados e em horários diferentes”, em que “têm mais disponibilidade” afirmou.

O projecto representa um investimento de cerca de 30.000 euros, na compra, transformação e equipamento da viatura, aquisição de material bibliográfico e de alguns equipamentos informáticos, sem contar com os recursos humanos que serão necessários para a concretização do projecto ao longo dos anos, disse.

“É algo que vai ser importante numa lógica de fazer chegar estes serviços a todos. É um bom investimento tendo em conta a importância de manter esta relação do Estado com os locais mais afastados das sedes de concelho ou das sedes de freguesia”, declarou.

Com 222 quilómetros quadrados, o concelho de Almeirim possui 22.676 habitantes (2018) e um índice de envelhecimento acima da média nacional (com 175 idosos por cada 100 jovens contra os 161 nacionais).

PUBLICIDADE

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS