Câmara de Abrantes chegou a acordo para compra do cineteatro São Pedro

A Câmara de Abrantes chegou a acordo com os proprietários do cineteatro São Pedro para a sua aquisição por 470 mil euros, quase dois anos depois de aquele espaço cultural ter sido encerrado.

Em comunicado conjunto, a Câmara Municipal de Abrantes e a Sociedade Iniciativas de Abrantes, proprietária do imóvel, disseram que este acordo serve para, “de forma definitiva e permanente, devolver o cineteatro São Pedro ao usufruto dos cidadãos abrantinos”.

A propriedade do imóvel passa para a Câmara Municipal que, “a partir de agora, velará pela sua adequada manutenção e o colocará ao serviço da cultura e de Abrantes”, acrescentaram.

Dois anos depois de impasse negocial, foram encontrada as condições necessárias para a compra do cineteatro São Pedro, por parte da Câmara Municipal de Abrantes pelo valor de 470 mil euros, cujo pagamento será formalizado com 71 mil euros a pagar em 2020, quando assinarem o contrato de promessa compra e venda.

Os restantes 66.500 euros serão pagos de forma faseada até 2026, data em que será formalizada a escritura de compra e venda definitiva.

O anúncio do acordo foi feito dentro do cineteatro São Pedro, um imóvel que apresenta degradação a vários níveis, nomeadamente na cobertura, tendo o presidente da Câmara de Abrantes destacado o “empenho” de ambas as partes em encontrar uma solução, num processo de “diálogo” que assumiu desde que tomou posse como presidente da autarquia, em Fevereiro deste ano.

O impasse negocial residia na diferença de verbas que as partes defendiam, tendo a Sociedade Iniciativas de Abrantes proposto inicialmente um valor na ordem dos 800 mil euros, ao que a autarquia, então presidida por Maria do Céu Albuquerque, contrapôs com uma proposta de 275 mil euros.

“Desde que tomei posse que peguei neste processo e com vários cenários em negociação, desde o comodato, ao aluguer ou à venda do imóvel e, em poucos meses, chegámos a acordo, com respeito, compreensão e vontade”, disse hoje Manuel Jorge Valamatos (PS), tendo feito notar que a “principal sala de espectáculos” do concelho de Abrantes “necessita de obras de requalificação urgentes”, que estimou em cerca de dois milhões de euros.

“Hoje é um dia histórico por devolvermos o edifício à cidade, e vamos trabalhar no sentido de recuperar rapidamente o imóvel e pô-lo ao serviço da comunidade, procurando candidaturas e apoios comunitários para um investimento global que estimamos ser na ordem dos dois milhões de euros, mas tendo em conta sempre as necessárias questões de segurança, sendo que a primeira intervenção terá de ser ao nível da cobertura e dos tectos falsos”, notou, não estabelecendo uma data para a reabertura ao público do espaço cultural.

Pela Sociedade Iniciativas de Abrantes marcaram presença os gerentes José Carreira e José Alberty, que se congratularam com o desfecho negocial tendo dado conta que o Centro Social Paroquial de Rossio ao Sul do Tejo, por ser o accionista maioritário, será a entidade que vai beneficiar com a maior parte da verba acordada no negócio.

A Câmara de Abrantes ficou sem a gestão do cineteatro São Pedro, a principal sala de espectáculos da cidade, em 28 de Janeiro de 2018, por falta de acordo com os proprietários para a renovação do contrato de comodato que havia sido celebrado em 29 de Janeiro de 1999, por um período de 19 anos, com gestão municipal do imóvel, visando a reabilitação do mesmo.

Durante os últimos dois anos, as actividades e iniciativas em agenda passaram a ocorrer noutros equipamentos municipais e alternativos, entre os quais se incluíram os auditórios das escolas Manuel Fernandes e Solano de Abreu e outros espaços, um pouco por todo o concelho, num processo de “democratização cultural” que o autarca assegurou pretender manter.

O cineteatro São Pedro foi inaugurado em 19 de Fevereiro de 1949 e é da autoria do arquiteto Ruy Jervis de Athouguia.

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS