O monumento de homenagem aos Combatentes da Guerra do Ultramar foi inaugurado no dia 26 de Junho, no Jardim 25 de Abril, em Coruche.

A iniciativa, que partiu da Câmara Municipal de Coruche e dos ex-combatentes de Coruche na Guerra das ex-Províncias Ultramarinas (1961- 1974), exprime, segundo a Liga dos Combatentes, profunda “demonstração de respeito, admiração e agradecimento para com todos aqueles que lutaram e tombaram pelas Forças Armadas Portuguesas na Guerra Colonial”.

O elemento escultórico, que simboliza todos os ilustres coruchenses que combateram no Ultramar e enuncia os heróis caídos, é da autoria do escultor Ricardo Crista, cuja obra se caracteriza por intervenções de arte urbana em aço e por abordagens à técnica de mosaico, aliando a tradicional azulejaria portuguesa e o aço à contemporaneidade. Associando-se ao interesse manifestado por parte dos ex-combatentes de Coruche no sentido de perpetuar o reconhecimento pelo esforço e pela dedicação dos soldados combatentes no Ultramar, a Câmara Municipal deliberou, em Março de 2021, a colocação no Jardim 25 de Abril de uma peça escultórica de Ricardo Crista.

A representação simbólica em aço corten, que tem a dimensão aproximada de 180 cm de altura por 70 cm de largura e 8 mm de espessura, presta a devida homenagem da população de Coruche e evoca o passado dos nossos combatentes, em particular dos “30 filhos da terra pertencentes ao Concelho de Coruche que tombaram durante a guerra”.

PUBLICIDADE

Estruturada pela Liga dos Combatentes, a cerimónia de inauguração do Memorial em Homenagem, Honra e Glória aos Combatentes da Guerra do Ultramar contou com a presença de uma força militar do Regimento de Artilharia n.º 5, comandada pela 2.ª Furriel Adriana Lopes, a fim de se prestarem as respectivas Honras Militares.

A cerimónia foi ainda marcada pelas intervenções de Francisco Silvestre de Oliveira, Presidente da Câmara Municipal de Coruche, e do Sargento-Chefe Carlos José Rodrigues Sá Pombo, Presidente do Núcleo de Santarém da Liga dos Combatentes – personalidades que descerraram a placa de inauguração do monumento juntamente com Berta Santos, Presidente da Assembleia Municipal, e Nuno Azevedo, Presidente da União de Freguesias de Coruche, Fajarda e Erra. Após o “Toque de Sentido”, os escuteiros de Coruche procederam à deposição de flores junto do memorial.

Foi posteriormente executado o “Toque de Silêncio”, seguido do “Toque de Homenagem aos Mortos Caídos em Combate”, durante o qual se recordaram “aqueles que por obras valorosas se libertaram da lei da morte”.

Seguiu-se a execução do “Toque de Alvorada” em sinal de esperança e convicção de que “o sacrifício dos nossos combatentes não fora em vão”.

No fim, foram atribuídas medalhas comemorativas, distinguindo três ex-combatentes associados ao Núcleo de Santarém da Liga dos Combatentes, e lidos os nomes dos 30 soldados coruchenses caídos em combate, concluindo-se com a leitura de um poema da autoria do Tenente-General Joaquim Chito Rodrigues.

PUBLICIDADE
Leia também...

A herdade no Alviela e o pergaminho que ia para o lixo

Pergaminho do século XII salvo do lixo em Vale de Figueira.

Lenda da Sopa da Pedra chega às crianças de todo o mundo através da Expo 2020 Dubai

A lenda da Sopa da Pedra, prato típico de Almeirim, foi incluída…

Feira Nacional da Agricultura realiza-se entre 9 e 13 de Junho em Santarém

A Feira Nacional da Agricultura/Feira do Ribatejo (FNA) vai realizar-se entre 9…

Gilberto Gil dá concerto com Adriana Calcanhotto em Santarém

A 7 de Novembro.