A Direcção-Geral da Saúde (DGS) alerta que a inalação de fumos ou de substâncias irritantes químicas e o calor podem causar danos nas vias respiratórias e emitiu recomendações sobre o que deve fazer-se nestas situações.

Sublinhando que as crianças, idosos e doentes respiratórios crónicos são os mais vulneráveis, a DGS detalha que existem lesões de inalação devidas ao calor que provocam obstrução e risco de infecção.

“Além da lesão pelo calor, há possibilidade de lesão pelas substâncias químicas do fumo que provocam inflamação e edema com tosse, broncoconstrição e aumento das secreções”, refere a informação publicada pela DGS no seu site e que pode ser consultada em https://www.dgs.pt/em-destaque/recomendacoes-para-a-exposicao-ao-fumo-de-incendios.aspx.

A DGS sublinha que existe ainda a possibilidade de surgirem lesões “mais tardias e mais graves, com destruição celular e, que, em casos extremos, causam falência respiratória”.

Assinalando que se deve evitar a exposição os fumos, porque esta é a forma mais efetiva de prevenir danos, o organismo liderado por Graça Freitas elenca as medidas que devem ser tomadas caso haja inalação de fumos.

Nesta situação, acrescenta, deve retirar-se a pessoa do local e evitar que respire fumo ou esteja exposta ao calor e pesquisar-se sinais de alarme, nomeadamente a presença de queimaduras faciais, dificuldade respiratória ou alteração do estado de consciência.

A DGS refere ainda o “mito do leite” para sublinhar que não existe descrição da sua utilidade em artigos científicos, e que o “leite não é um antídoto do monóxido de carbono”.

“A concentração de monóxido de carbono no fumo resultante do incêndio tem efeitos nocivos para a saúde para quem estiver próximo da linha de fogo”, podendo resultar em cefaleias, sensação de falta de ar, alterações visuais, irritabilidade, náuseas e fadiga para concentrações inferiores a 40%; confusão, alucinação, ataxia e coma para concentrações entre 40 e 60%; e na morte para concentrações superiores a 60%”, refere mesma informação.

A DGS recomenda aos serviços de saúde que se organizem para que, antecipadamente , adequem as necessidades de resposta ao possível aumento o número de utentes com sintomas associados à exposição e inalação de fumo.

Em caso de necessidade as pessoas podem pedir informações através da linha de saúde 24 (SNS24), devendo ligar para o 112 em caso de emergência.

Pelas 00:30 de hoje havia registo de 20 fogos activos que estavam a ser combatidos por mais de 2.700 operacionais, sendo os fogos nos distritos de Leiria, Setúbal e Aveiro que estão a mobilizar mais meios de combate, de acordo com a Protecção Civil.

Leia também...

Músico dos Santos & Pecadores morre vítima de acidente de trabalho em Tremez

Rui Martins, um dos músicos da banda Santos & Pecadores, morreu na…

Alterações ao Código da Estrada entram em vigor amanhã com multas agravadas

As alterações ao Código da Estrada aprovadas em Novembro entram na sexta-feira,…

Médico detido por abuso sexual de menores

Um homem de 27 anos foi detido esta manhã no Bairro de…

PSP apreende mais de 250 de aves na Avisan

Levantados três autos de contra-ordenação.