Médica do Hospital de Santarém eleita presidente do Núcleo de Gastrenterologia dos Hospitais Distritais

Luísa Glória, gastrenterologista no Hospital Distrital de Santarém, Hospital Beatriz Ângelo (HBA) e no Hospital da Luz Clínica de Odivelas, foi eleita presidente do Núcleo de Gastrenterologia dos Hospitais Distritais (NGHD), uma associação científica que congrega os médicos desta especialidade e outros profissionais de saúde ligados a ela, que exercem funções em hospitais de ‘âmbito distrital’.

A associação existe há mais de 30 anos e tem contribuído para a partilha de experiência entre os gastrenterologistas e para a melhoria da qualidade na prática desta especialidade, promovendo encontros científicos e estudos multicêntricos, alertando para situações em que as instituições não estão a responder de forma adequada às exigências da praxis clínica e, sobretudo, informando e educando para a saúde toda a população.

Ainda que associada a especialistas que trabalham em hospitais de âmbito distrital – o que deixa de fora os hospitais localizados nos concelhos de Lisboa, Porto e Coimbra -, o Núcleo de Gastrenterologia dos Hospitais Distritais acaba por ‘cobrir’ a maioria da população nacional, podendo ter por isso um papel cada vez mais relevante e interventivo no sistema nacional de saúde.

Luísa Glória, que assume a direção do NGHD para o próximo triénio, é especialista em gastrenterologia há duas décadas, tendo investido grande parte da sua carreira sobretudo nas áreas da gastrenterologia oncológica, doença inflamatória do intestino e nutrição clínica. É ainda consultora do Registo Oncológico Nacional.

Na mensagem da Presidente no site do Núcleo de Gastrenterologia dos Hospitais Distritais, Luísa Glória assume que pretende “dinamizar e promover o estabelecido nos estatutos do NGHD no que se refere à avaliação da prestação de cuidados de âmbito regional e à sua melhoria, melhorar a colaboração com os cuidados de saúde primários , aproximando-os dos cuidados hospitalares mais diferenciados, de forma a obter uma melhor gestão dos recursos humanos e técnicos disponíveis, com eventuais ganhos em saúde”. 

Ainda na sua mensagem aos associados, a médica mostra vontade “em promover a investigação científica, nomeadamente através da dinamização de estudos multicêntricos de âmbito regional de forma a que o melhor conhecimento da realidade nacional e a partilha de experiências entre os vários centros permita melhorar o prestação de cuidados, objectivo primordial da nossa associação”.

“O NGHD pode desempenhar um papel relevante na promoção da difusão de conhecimentos e boas práticas incentivando os médicos em formação ou recém especialistas a exercer a sua pratica em hospitais de âmbito regional a complementarem os seus conhecimentos nestes centros que apresentem condições, recursos e experiência de formação em áreas especificas”, concluiu a dirigente.

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS