Prisão preventiva para antigo polícia suspeito de atear fogo florestal

Um antigo polícia, com cerca de 50 anos, detido na sequência de um incêndio florestal ocorrido perto de Abrantes pelas 20h00 da passada sexta-feira, vai aguardar em prisão preventiva enquanto prossegue a investigação da Polícia Judiciária.

Em comunicado, a Procuradoria da Comarca de Santarém afirma que a medida de coação – a mais gravosa – foi aplicada na tarde de terça-feira, após o primeiro interrogatório do detido, dados os “perigos de continuação da actividade criminosa e de alteração da ordem e tranquilidade públicas”.

A procuradoria refere também os antecedentes de alcoolismo, “não resolvidos mesmo após tratamentos de desintoxicação e afectações comportamentais que tinham contribuído para a respectiva aposentação por incapacidade para o serviço público policial”.

O homem é suspeito de ter ateado o incêndio que ocorreu ao princípio da noite de sexta-feira próximo da zona onde reside com o pai, prosseguindo a investigação a cargo da PJ.

O inquérito reporta-se à secção especializada em criminalidade violenta do Departamento de Investigação e Ação Penal de Santarém.

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS