BE aponta soluções para melhores cuidados de saúde no Médio Tejo

O Bloco de Esquerda manifestou-se preocupado com a prestação de cuidados de saúde ao nível dos cuidados primários e hospitalares na região do Médio Tejo, tendo defendido um forte investimento na preservação do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Em comunicado, o BE dá conta da necessidade de “reforço do SNS através da dotação orçamental necessária para comprar equipamentos, entre eles um aparelho de ressonância magnética, a reorganização dos serviços, o atraso no início da requalificação das urgências do Hospital de Abrantes, a ligação entre os três hospitais [Abrantes, Tomar e Torres Novas] e a sua optimização”.

As reivindicações apresentadas resultam de “preocupações mútuas” transmitidas à deputada eleita por Santarém, Fabíola Cardoso, pela Comissão de Utentes de Saúde do Médio Tejo, tendo a eleita lembrado que a Ministra da Saúde já foi “questionada sobre o atraso do início das obras de requalificação das Urgências Médico Cirúrgicas no Hospital D. Manoel Constância, em Abrantes”, unidade hospitalar integrada no Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT).

PUBLICIDADE

No documento, o BE dá ainda conta que foi discutida a “necessidade de um plano estratégico para a saúde no Médio Tejo, que articule e potencie os meios existentes, a anunciada transferência de competências na área da Saúde para as autarquias, no âmbito da descentralização em curso, e a importância do reforço na humanização dos cuidados de saúde, tanto ao nível do atendimento, como da comunicação e informação”.

PUBLICIDADE

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS