Bispo de Leiria-Fátima alerta para necessidade de se reparar a Igreja abalada pela corrupção

O bispo de Leiria-Fátima pediu hoje a intercessão de São Francisco Marto “para curar as feridas da humanidade, ‘dilacerada por tantas formas de violência’, e para reparar a Igreja ‘tão dolorosamente abalada pela corrupção e pelos escândalos'”.

António Marto considerou também São Francisco Marto como sendo um exemplo para os “adultos de hoje” pelo seu “encanto e fascínio” por Deus, pela devoção eucarística e pela missão reparadora.

O prelado diocesano de Leiria-Fátima presidiu hoje ao terço e à eucaristia do Centenário da Morte de São Francisco Marto.

PUBLICIDADE

“Vai Francisco e repara a minha Igreja. Também nós invocamos São Francisco Marto para esta hora dolorosa da Igreja. Ajuda-nos a ser cristãos mais fiéis ao Evangelho e a Jesus; ajuda-nos a descobrir o encanto da beleza de Deus; a unir-nos cada vez mais a Jesus na Eucaristia e a sermos seus colaboradores para repararmos os pecados do mundo e da Igreja”, disse António Marto, citado num comunicado do Santuário de Fátima.

O bispo, que proferiu uma homília centrada na história de vida de Francisco Marto, referiu-se ao vidente de Fátima como sendo “um exemplo de grande atualidade”, sobretudo para os adultos do mundo de hoje.

Na sua intervenção, referiu-se ainda “às dimensões contemplativa e reparadora de São Francisco Marto, que soube cultivar uma relação de grande cumplicidade com Deus, através da Eucaristia”.

“Francisco lembra-nos a devoção eucarística como o lugar onde alimentamos a nossa fé e depois vem lembrar-nos a atualidade da missão reparadora para curar as feridas do mundo e da humanidade, dilacerada por tantas formas de violência e reparar também a própria Igreja do Senhor, hoje tão dolorosamente abalada pela corrupção de alguns escândalos de responsáveis que ferem a nossa alma e a qualidade da nossa fé e a imagem e confiança na Igreja”, afirmou.

Para o cardeal, “é necessário reparar os estragos para reconstruir”: “Reparar os estragos provocados pelos escândalos e reerguer comunidades que sejam fiéis ao Evangelho, com a confiança de que nas horas mais obscuras da história, pelas quais a igreja já passou, o Senhor nunca nos abandonou”.

“Ele é muito atual para os adultos: consolar a Deus; dar alegria a Deus e unir-se no afeto grande a Ele através de Jesus escondido na Eucaristia”, afirmou ainda António Marto.

O Santuário de Fátima está a assinalar o centenário da morte de São Francisco Marto com um programa especial que começou na quarta-feira à noite com a recitação do Rosário seguida de uma vigília com veneração do seu túmulo, na Basílica da Santíssima Trindade.

A partir de hoje, no Santuário, será distribuída uma pagela comemorativa do centenário da morte de Francisco Marto, que será disponibilizada exclusivamente na casa do Francisco e da Jacinta, em Aljustrel, até ao fim do ano pastoral.

Ainda no âmbito do programa, que abrange várias atividades, no domingo, a Basílica de Nossa Senhora do Rosário acolhe um concerto comemorativo do Centenário da Morte de São Francisco Marto, pelas 15:30, pelo Grupo Vocal LUSIOVOCE, com direção de Clara Alcobia Coelho.

PUBLICIDADE

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS