A Câmara de Ourém aprovou um plano para poupar energia com um conjunto de medidas para serem aplicadas nos serviços municipais, mas também diversas recomendações para entidades externas e população, anunciou a autarquia.

Segundo informação enviada à agência Lusa, o Plano de Poupança de Energia 2022-2023 contempla um “conjunto alargado de medidas de redução do consumo energético através de medidas de ajuste do horário da iluminação pública”, assim como em rotundas das cidades de Ourém e Fátima, e no Parque da Cidade António Teixeira e Jardim Municipal Le Plessis-Trévise (na sede do concelho), além de outros edifícios sob gestão municipal.

“De 06 de Dezembro de 2022 a 06 de Janeiro de 2023, serão também ajustados os períodos de utilização da iluminação natalícia para o horário entre as 18h00 e as 24h00”, adiantou a autarquia.

O plano inclui “medidas de redução do consumo energético em piscinas e complexos desportivos”, com “medidas de regulação da temperatura da água das piscinas e diminuição na temperatura de aquecimento ambiente, assim como a regulação do caudal das torneiras e chuveiros para assegurar as necessidades sem desperdício de água”.

O documento também prevê “um conjunto de acções com investimento que passam pela substituição da iluminação interior por tecnologia LED em edifícios e estruturas municipais, bem como a implementação de sistemas de gestão para racionalização de consumos em edifícios da esfera municipal”.

No Plano de Poupança de Energia 2022-2023 constam recomendações a entidades externas e munícipes que passam por “desligar a iluminação de faixas, lonas e estandartes publicitários e cartazes na via publica e edifícios a partir das 22h00 no período de inverno e a partir das 23h00 no período de verão”.

É igualmente sugerido que se desligue a “iluminação de montras e similares após o encerramento do estabelecimento” e a “iluminação interior sempre que o espaço não esteja em uso e após o horário de trabalho”.

O presidente do Município de Ourém, Luís Albuquerque, disse que o documento, aprovado em reunião do executivo na segunda-feira, já está em vigor.

“Há questões que dependem diretamente de nós e conseguimos que elas entrem de imediato em vigor”, afirmou, explicando que o documento tem duas partes, uma que “tem a ver com poupanças imediatas, contabilizadas em cerca de 125 mil euros”, e outra que depende de investimento, como a colocação de painéis solares, pelo que a sua aplicação “vai demorar mais tempo” devido à necessidade de contratações.

Luís Albuquerque referiu que a escala dos preços da energia representou este ano “um acréscimo de custos de mais de um milhão de euros”.

“Só por aí dá para ver o peso que a energia tem nas contas da Câmara Municipal”, realçou.

Quanto à iluminação pública, o Município “pagava cerca de 1,2 milhões de euros”, sendo que as estimativas apontam agora “para dois milhões”.

O autarca lembrou que estão em curso obras nas piscinas municipais no âmbito da eficiência energética, estando “outros procedimentos em curso”, como a colocação de lâmpadas LED na iluminação pública, para ver se o Município consegue “poupar ainda mais do que está previsto neste plano”.

Quanto às sugestões dirigidas a empresários e população, o presidente da Câmara de Ourém frisou que “o esforço que tem de ser feito para poupar energia”, devido ao seu preço e escassez, “tem de ser assumido por todos”, para se “ultrapassar este momento mais difícil”.

Leia também...

Músico dos Santos & Pecadores morre vítima de acidente de trabalho em Tremez

Rui Martins, um dos músicos da banda Santos & Pecadores, morreu na…

Alterações ao Código da Estrada entram em vigor amanhã com multas agravadas

As alterações ao Código da Estrada aprovadas em Novembro entram na sexta-feira,…

Médico detido por abuso sexual de menores

Um homem de 27 anos foi detido esta manhã no Bairro de…

PSP apreende mais de 250 de aves na Avisan

Levantados três autos de contra-ordenação.