A Câmara de Santarém rejeitou esta segunda-feira, 21 de Março, a transferência de competências na área da Saúde, alegando o envio de mapas desactualizados e situações “não claramente plasmadas” no auto proposto pelo Governo.

Na reunião do executivo municipal, o presidente Ricardo Gonçalves lamentou que não tivesse sido dado mais tempo para a assunção desta responsabilidade, de forma a serem atualizados os valores constantes do auto de transferência, os quais reportam a 2018.

O vereador com o pelouro da Saúde, Diogo Gomes, explicou que, após a chegada da proposta, em novembro de 2021, os serviços da autarquia pediram informação adicional à Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, nomeadamente sobre os custos relativos a pessoal e despesas de manutenção e limpeza, sem que tenha sido disponibilizada até ao momento.

Diogo Gomes acrescentou ainda que o parecer técnico emitido pelos serviços sublinha que o facto de os valores constantes estarem desfasados pelo menos em quatro anos “pode conduzir a desequilíbrios graves”, já que não incorporam os efeitos da pandemia de covid-19 e da crise atual gerada pela guerra na Ucrânia, nem a evolução dos preços ocorrida neste período.

Já as competências na área da Educação foram votadas favoravelmente, tendo sido parte delas passadas hoje para os agrupamentos escolares do concelho, salientando a vereadora com o pelouro, Inês Barroso, o facto de as “obras de vulto” nos edifícios continuarem a ser da responsabilidade do Ministério da Educação.

Na reunião de hoje foi, ainda, ratificado o auto de transferência do Castelo de Alcanede, cuja propriedade passou do Ministério da Cultura para o município, sendo que a autarquia vai receber cerca de 10.000 euros anuais para o funcionamento do monumento e cerca de 26.000 euros para pequenas obras.

A partir de 01 de Julho, o município escalabitano passa também a assegurar um conjunto de competências na área da Ação Social, como a responsabilidade de elaborar as Cartas Sociais, incluindo o mapeamento dos equipamentos sociais do concelho e a articulação com as prioridades nacionais e regionais, e de desenvolver atividades de animação e apoio à família para crianças que frequentam o ensino pré-escolar.

Passará, ainda, entre outras funções, a elaborar os relatórios técnicos de acompanhamento e atribuição de prestações pecuniárias em situações de carência económica e de risco social e a celebrar e acompanhar os contratos de inserção dos beneficiários do Rendimento Social de Inserção.

Para desempenhar estas novas funções, serão estabelecidos protocolos com instituições que já fazem atendimento e acompanhamento social, como a delegação de Santarém/Cartaxo da Cruz Vermelha Portuguesa e a Santa Casa da Misericórdia de Pernes, e o acompanhamento dos contratos de inserção dos beneficiários do RSI, nomeadamente, a Misericórdia de Santarém, o Centro Social Interparoquial de Santarém e a Associação para o Desenvolvimento Social de Santarém.

As restantes competências serão asseguradas pela Divisão de Ação Social e Saúde do município.

Leia também...

Músico dos Santos & Pecadores morre vítima de acidente de trabalho em Tremez

Rui Martins, um dos músicos da banda Santos & Pecadores, morreu na…

Alterações ao Código da Estrada entram em vigor amanhã com multas agravadas

As alterações ao Código da Estrada aprovadas em Novembro entram na sexta-feira,…

Médico detido por abuso sexual de menores

Um homem de 27 anos foi detido esta manhã no Bairro de…

PSP apreende mais de 250 de aves na Avisan

Levantados três autos de contra-ordenação.