O ano de 2020 foi um ano bastante duro em todos os sectores e a Tauromaquia não foi excepção. Os Cavalos de Toureio são verdadeiros atletas e a sua manutenção acarreta custos bastante avultados.

Numa fase sem Touradas, durante a quarentena obrigatória e até ao recomeço das Corridas de Toiros a 30 de Julho, os artistas tauromáquicos viram-se impedidos de trabalhar, criando uma grande pressão financeira na manutenção dos seus cavalos.

No sentido de apoiar os Toureiros e os seus animais foi criado um Banco Alimentar Equestre, que permitiu assistir aqueles que mais necessitaram numa fase tão dura para todos.

PUBLICIDADE

“A Associação Nacional de Toureiros, e em particular os Cavaleiros Tauromáquicos, agradecem à Caleya, Fertiprado, Florestas Sustentáveis, Forragens Raianas, Intacol, Saha, Manuel Laurentino e Sociedade Agrícola Venâncio & Venâncio, por toda a ajuda prestada num momento tão difícil, tal como à Associação Nacional de Grupos de Forcados pelo envolvimento nesta iniciativa”, refere um comunicado da ANT.

PUBLICIDADE
Leia também...

‘Casa em Santarém’ nomeada para o prémio internacional de arquitectura

O projecto ‘Casa em Santarém’ da empresa dp arquitectos está nomeado para…

Rotary Clube de Santarém distingue Sílvia Carreira como profissional do ano

Sílvia Carreira, directora técnica do Lar Gualdim, do Centro Social Interparoquial de…

“Os pequenos produtores não podem ser abandonados”

João Mendes – Fio Dourado DIVULGAÇÃO APRODER O lagar de azeite da…

Câmara de Santarém pede 270 mil euros ao BEI para requalificação de avenida

A Câmara de Santarém aprovou hoje a contracção de um empréstimo de…