A Sé Catedral de Santarém recebeu domingo, dia 18 de Dezembro, ao final da tarde, o Concerto Comemorativo dos 50 anos do Coro do Círculo Cultural Scalabitano (CCS).

O grupo escalabitano foi acompanhado pelos músicos da Camerata de Cordas de Leiria ao longo de uma hora de espectáculo, no interior do templo do Largo do Seminário.

O Coro do Círculo Cultural Scalabitano (CCS), actualmente composto por 36 elementos, está, pois, de Parabéns: não só pelos seus 50 anos de vida, mas, sobretudo, por aquilo que tem trazido à cidade em termos de dinâmica cultural, formação de públicos, criatividade e ensino da música.

Facto que foi destacado por Eliseu Raimundo, presidente do Círculo Cultural Scalabitano, na Gala Comemorativa do 68º Aniversário de actividade artística e cultural ininterrupta daquela associação, que decorreu também no domingo e na qual o Coro foi distinguido com a ‘Medalha de Honra’.

“Parabéns ao Coro, em meu nome, que com ele tenho convivido ao logo destes cinquenta anos, e em nome do CCS, que lhe está agradecido. Parabéns às mulheres, aos homens, às crianças e jovens, que, ao longo de cinquenta anos passaram pelo Coro. Parabéns em nome dos milhares e milhares de pessoas a quem serviu recebendo em troca os seus aplausos, sim, porque a melhor contrapartida recebida, pela dedicação, pela entrega, pelo amor, pelo entusiasmo colocado em cada concerto, foi a contrapartida dos afectos traduzidas nos aplausos”, disse, na sua intervenção, o responsável.

Para o Maestro António Matias, o verdadeiro segredo para o actual sucesso deste grupo “é a sua diversidade humana, social e multicultural”.

“Actualmente, o Coro do CCS possui objectivos musicais e humanos cada vez mais exigentes, procurando cuidar da formação de novos públicos, fazendo-se acompanhar de uma dinâmica social de grupo saudável e terapêutica. Como refere o nosso lema: “Juntos, somos mais que Música”, afirmou, numa entrevista recente ao Correio do Ribatejo.

O Coro do Círculo Cultural Scalabitano é herdeiro do Orfeão Scalabitano, fundado em 1925, em Santarém e do Coro Alfredo Keil, cuja actividade decorreu entre 1962 e 1969.

Nos anos 70, e com início em 1972, um grupo de pessoas assumiu a responsabilidade de transmitir aos outros uma herança universal através do canto, dando origem ao actual Coro. Para isso, muito contribuíram os maestros que então o dirigiram: José Robert, Francisco d´Orey e Jorge Matta.

A partir de Outubro de 1978, tomou a direcção do Coro a maestrina Tilita Valente, antiga coralista. O maestro Abílio Figueiredo assumiu a direcção do Coro do Círculo Cultural Scalabitano de 1999 a junho de 2008. Actualmente é dirigido pelo maestro António Matias.

Aniversário do Círculo “carregado de simbolismo”

O Círculo Cultural Scalabitano comemora este ano o seu 68º Aniversário de actividade artística e cultural, pela qual tem marcado indelevelmente a sociedade local e regional, num movimento de grande dinâmica que extravasou as quatro paredes da sua sede e difundiu por todo o país e pelo estrangeiro. “Nada na vida é simples, seja na vida de cada um de nós, seja na existência das Instituições.

A vida do CCS não o tem sido, mas tem, com certeza, valido a pena ser-se associativista nesta grande associação cultural, e fazer parte desta afectuosa família”, afirmou Eliseu Raimundo.

“Tudo tem que ser conquistado passo a passo, mercê de lutas e sacrifícios, em trajectória naturalmente marcada por reveses e vitórias, marcando-se o território percorrido com acções dignas de reconhecimento pelo mérito, compondo um baú de memória a ser, necessariamente preservada, transmitida e colocada em destaque para conhecimento das futuras gerações”, disse ainda o responsável, nesta cerimónia “simples, mas carregada de simbolismo”.

“Torga disse-nos que “A vida afectiva é a única que vale a pena. A outra apenas serve para organizar, na consciência, o processo da inutilidade de tudo.” Mais uma vez o CCS não esquece todos quantos têm dedicado as suas melhores capacidades e generosidade ao bem comum, num gesto altruísta de partilha de valores e interesses, na defesa da valorização cultural e artística. É imprescindível que uma sociedade que se pretende avançada e respeitada, conheça e preserve a sua história bem como os que a fizerem ou estão fazendo”, afirmou Eliseu Raimundo.

“Abraçamos hoje, numa homenagem simples, mas carregada de significado, um conjunto de homens e mulheres que se entregaram ao Círculo em defesa dos seus valores, tendo a sua passagem por esta instituição deixado marcas que se perpetuarão no tempo, revelando a sua capacidade de trabalho, empenho e dedicação, com total desprendimento e mostrando-nos que ser associativista é, acima de tudo, um modo de viver a cidadania”, concluiu.

A cerimónia terminou com a entrega das distinções: Medalha de Mérito, atribuída a Isabel Maria Gonçalves Santos – Departamento Biblioteca Arquivo histórico; Maria Ribeiro Inácio – Academia de dança e Expressão Corporal; Telmo José Nunes de Sá e Seixas – Orquestra Típica Scalabitana; Vasco Alexandre Marques Serrano – Orquestra Típica Scalabitana e Carlos Manuel Pereira Faria – Orquestra Típica Scalabitana.

A Medalha de Honra foi entregue a Conceição Maria Francisco Santos Prino e Margarida de Melo e Castro de Lencastre do Coro do Círculo Cultural Scalabitano. Já o Galardão de Honra Actor Taborda distinguiu António Júlio Rodrigues dos Santos, Maria Fernanda de Jesus Narciso e António José Cunha Matias.

Leia também...

Músico dos Santos & Pecadores morre vítima de acidente de trabalho em Tremez

Rui Martins, um dos músicos da banda Santos & Pecadores, morreu na…

Alterações ao Código da Estrada entram em vigor amanhã com multas agravadas

As alterações ao Código da Estrada aprovadas em Novembro entram na sexta-feira,…

Médico detido por abuso sexual de menores

Um homem de 27 anos foi detido esta manhã no Bairro de…

PSP apreende mais de 250 de aves na Avisan

Levantados três autos de contra-ordenação.