É esse o mote para a publicação desta fotografia (captada em Santarém numa festa de escuteiros em 2017). Uma criança caminha enquanto um adulto se prepara para lhe estender a mão. É o processo natural de crescimento, de passagem de conhecimento, de aprendizagem, de partilha.

É a evolução natural das coisas e o garante do desenvolvimento social e humano. E também pode estar relacionado com a situação atual do Covid – 19. Temos de nos proteger uns aos outros, saber viver em função do próximo e em função da informação de que dispomos.

Também pode simbolizar o trabalho que o jornal Correio do Ribatejo tem feito ao longo dos seus 129 anos. Unir as pessoas contribuindo para uma melhor cultura democrática ao fazer chegar a informação, ao promover o debate de ideias, ao abrir-se à sociedade como é o caso desta parceria com o Núcleo de Fotografia do Centro Cultural Regional de Santarém.

PUBLICIDADE

Parabéns Correio do Ribatejo, pela vida longa dedicada às pessoas e desejos de que seja ainda mais longa, que pode ser outro tanto, para já.

Paulo Jorge de Sousa nasceu em 1964 no Sardoal, onde reside
Trabalha na área da cultura e da fotografia na Câmara Municipal de Sardoal.

PUBLICIDADE
Leia também...

Quadro do Tempo: Auschwitz não tem magia

Foi pela mão do meu Pai que conheci os campos de extermínio…

Opinião/Pedro Santos: O quadro do tempo

Acessório de moda ou de prestígio para instrumento de rigor e de…

Visitar vírus e virtudes em Vila Viçosa

A pandemia de COVID-19 entrou de rompante nas nossas vidas e virou…

Os Novos Populistas pós vírus Boris Johnson, o Coriolano da pandemia

Há dez anos sofremos a crise do subprime, ou do Lehman Brothers. Uma crise…