Deputados do PSD eleitos por Santarém questionam Governo sobre as condições dos comboios

O PSD questionou hoje o Governo sobre as condições dos comboios da Linha do Norte, apontando dificuldades dos passageiros em cumprir com as recomendações de saúde no âmbito da covid-19, e perguntando se haverá reforço de carruagens.

Numa pergunta endereçada ao ministro das Infraestruturas e Habitação, Pedro Nuno Santos, os deputados do PSD eleitos por Santarém apontam que o eixo ferroviário Norte-Sul “é hoje o principal eixo de transporte de passageiros que integra a Linha do Norte e que liga as áreas metropolitanas de Lisboa e Porto”. 

Recordando o “aumento significativo de passageiros por via do Programa de Apoio à Redução Tarifária nos Transportes”, os sociais-democratas alertam para a “cada vez mais frequente mudança de residência de pessoas da área metropolitana de Lisboa para norte” bem como a retoma da actividade laboral, após o período de confinamento, que aumentam o número de utilizadores na linha.

PUBLICIDADE

“Ora, se as condições e o número de carruagens existentes nestas ligações ferroviárias já eram escassos face ao elevado número de passageiros, e não tendo havido qualquer aumento de número de carruagens e comboios nos últimos meses, as regras de distanciamento social e as recomendações entretanto feitas pela DGS [Direção-Geral da Saúde] tornam-se impossíveis de cumprir aumentando os riscos para todos os passageiros”, argumenta o PSD. 

Assim, os sociais-democratas pretendem saber se o governo pretende reforçar “o número de comboios e carruagens na Linha do Norte de modo a permitir assegurar o distanciamento social dos passageiros e o cumprimento das restantes recomendações” bem como a “limpeza e as condições de higiene dos comboios e das respectivas estações”. 

No texto que acompanha as questões colocadas, o PSD subscreve ainda uma série de recomendações, aprovadas “por unanimidade” pela Assembleia Municipal do Entroncamento, por proposta dos autarcas sociais-democratas da região, entre elas o reforço das circulações, da limpeza e desinfecção, dos dispensadores de álcool gel e materiais de protecção individual nas estações ou ainda o reforço de iniciativas de sensibilização. 

PUBLICIDADE

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS