O Grupo Académico de Danças Ribatejanas, de Santarém, meteu ombros a um projecto sócio-cultural que visa promover e valorizar alguns aspectos da cultura tradicional ribatejana, em acção que, igualmente, tem o objectivo de salvaguardar o património cultural, material e imaterial, que constitui a base da matriz da nossa identidade como ribatejanos. Identidade multifacetada, bem sabemos, mas que se assume pela conjugação coerente de vários aspectos desta cultura autóctone.

Para proporcionar maior visibilidade a estas iniciativas, o Grupo Académico de Danças Ribatejanas tem vindo a desenvolver faseadamente cada projecto, procurando que culminem no âmbito do Festival “Celestino Graça” – A Festa das Artes e das Tradições Populares do Mundo, que decorrerá entre os dias 3 e 9 do próximo mês de Setembro, em Santarém.

Entre estas iniciativas enquadra-se a Grande Gala do Fado Amador do Ribatejo, que permite promover e valorizar esta expressão da nossa cultura tradicional, reconhecida como património cultural imaterial pela UNESCO, e que tem entre alguns dos seus melhores protagonistas músicos, fadistas e poetas ribatejanos. Neste sentido, decorrerá na Casa do Campino, na noite de 5 de Setembro, um aliciante espectáculo onde actuarão algumas das principais figuras do fado no Ribatejo.

PUBLICIDADE

Do mesmo modo, decorrerá no Largo do Seminário, na manhã de sábado, dia 7 de Setembro, mais uma edição do Fandangando, uma mostra de fandangos do Ribatejo informalmente aberta a todos quantos saibam e queiram dançar esta tão castiça dança folclórica, que no Ribatejo assumiu feições distintas do que é conhecido nas restantes regiões etnográficas portuguesas. Num tempo em que se fala da eventual candidatura do Fandango a património cultural imaterial, esta iniciativa poderá constituir, assim, mais um contributo para a sua divulgação.

A imagem que se pode captar em qualquer região, e a qualquer pretexto, constitui um importante testemunho de uma realidade social ou cultural, pelo que importa estimular os fotógrafos da actualidade – que somos todos nós, a bem dizer, dadas as inesgotáveis facilidades de que dispomos para satisfazer este nosso hobby – a partilharem no II Salão de Fotografia “O Ribatejo e as Suas Gentes” algumas das suas fotografias que abordem esta inesgotável temática, estabelecendo um abraço entre o imaginário do passado e a actualidade dos nossos dias.

Uma das preocupações do Grupo Académico de Danças Ribatejanas, dada a circunstância de há sessenta e três anos recolher, registar, estudar, preservar e divulgar as tradições etnográficas e folclóricas da nossa região, é fomentar a compreensão e o conhecimento sobre esta vasta temática, pelo que não se desperdiça a oportunidade de evocar em singela homenagem essa figura pioneira do neorrealismo português que é Alves Redol, na circunstância do 50.º aniversário sobre a data do seu falecimento e do 80.º aniversário sobre a primeira edição do romance “Gaibéus”. Um colóquio sobre a dimensão etnográfica na escrita de Alves Redol marcará esta homenagem.

Enfim, assim, o Festival “Celestino Graça” será ainda mais a Festa das Artes e das Tradições Populares do Mundo. A não perder entre os dias 3 e 7 de Setembro, em Santarém, mas, igualmente, em Almeirim, em Abrantes e nas Caldas da Rainha.

PUBLICIDADE
Leia também...

Alterações ao Código da Estrada entram em vigor amanhã com multas agravadas

As alterações ao Código da Estrada aprovadas em Novembro entram na sexta-feira,…

Morreu Asdrúbal, figura de Santarém

Asdrúbal, figura icónica e popular de Santarém, faleceu na madrugada deste domingo,…

Surto no CRIAL atinge todos os utentes residentes e já provocou um óbito

O Centro de Recuperação Infantil de Almeirim (CRIAL) tem um surto activo…

Loja da Cavalinho assaltada no Centro Histórico de Santarém

A loja do Cavalinho foi alvo de um assalto na madrugada desta…