Festival “Celestino Graça” aposta na diversidade

No seu novo formato, implementado com o regresso ao espaço da Casa do Campino, o Festival “Celestino Graça” apostou na diversidade cultural, interagindo na área das tradições populares, criando um espaço e um tempo de festa, onde se pretende exaltar o melhor da cultura popular a nível dos diferentes países que marcam presença neste evento de projecção internacional em Santarém.

O Festival Internacional de Folclore “Celestino Graça” continua a ser âncora deste certame, porém, para além do folclore, nacional e estrangeiro, pontificam outras expressões culturais e artísticas, o que aumenta substancialmente o seu interesse. Disso são testemunhos a exposição-venda de artesanato, as tasquinhas, onde se promove a gastronomia ribatejana, as exposições temáticas, para além do Salão de Fotografia, subordinado ao tema “O Ribatejo e as Suas Gentes”, os colóquios, os jogos tradicionais e infantis, a música popular, o Fado, que terá um tempo próprio de exaltação na Gala de Fado Amador do Ribatejo, e a mostra de Fandangos do Ribatejo (Fandangando, 7 de Setembro, às 11 horas, no Largo do Seminário).
Do mesmo modo, a aposta transcende a diversidade e destaca-se pela inovação de algumas expressões, como é o caso da representação brasileira que nos fará descobrir um projecto arrojado em torno da música tradicional deste país irmão, fazendo incursões pelas suas raízes até às influências célticas. Rosa Armorial, o Grupo que vem de Curitiba, será uma agradável surpresa, ainda mais conseguida através da participação do G.E.O., “um grupo de música instrumental, sediado em Lisboa, que se inspira nas emoções e na experimentação e fusão de sonoridades de vários estilos (da música clássica à música do mundo), assumindo os sons da nossa portugalidade sem fronteiras.” A não perder na quinta-feira, dia 5 de Setembro, pelas 21 horas.

O aspecto social não é descurado pela organização do Festival “Celestino Graça”, e, assim, decorrerá na tarde do dia 5 de Setembro, na Casa do Campino, uma Gala Solidária “Abraçar Gerações” / “Entre Idades”, este ano em parceria com a Fundação INATEL, que é destinada às crianças e aos mais idosos do distrito de Santarém, com entradas livres.

A nível do Festival Internacional de Folclore cumpre referir que o critério da selecção dos países e regiões representados garantirá uma elevada qualidade técnica e artística, em espectáculos onde a diversidade constitui, também, uma mais valia. Às representações de Argentina, do Brasil, da Colômbia, da Croácia, da Espanha e da Sérvia, juntam-se os grupos folclóricos portugueses de Guifões – Matosinhos, de Vila Nova de Tazem – Serra da Estrela, de Cernache do Bonjardim – Beira Baixa, de Cabeça Veada – Porto de Mós, de Faro – Algarve, e em representação do Ribatejo actuam os Grupos de Azambuja, de Arcena e os anfitriões e organizadores do Festival, Grupos Infantil e Académico de Santarém.

Para além dos espectáculos – muitos e diversos – que têm lugar na Casa do Campino, há outras iniciativas que decorrem no Centro Histórico de Santarém, nomeadamente, no âmbito do Projecto In-Santarém, na noite de 4 de Setembro, no Largo do Seminário, e da animação pelas ruas nas manhãs de quinta-feira e de sábado, respectivamente, dias 5 e 7 de Setembro.

Para assistir aos espectáculos na Casa do Campino, entre os dias 5 e 8 de Setembro, deverá adquirir um bilhete diário de 3€, que permite assistir a todos os espectáculos desse dia, podendo optar pela aquisição de um bilhete para todo o Festival, que custará apenas 10€, ou aderir à Liga dos Amigos do Festival “Celestino Graça”. Pouco mais do que nada para quem quiser assistir a tantos e tão bons espectáculos, mas uma receita imprescindível para fazer face aos elevados encargos associados a esta realização que leva os nomes de Santarém e do Ribatejo pelos quatro cantos do mundo.

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS