Mário Nelson: “Seremos uma equipa competitiva que vai lutar dentro do campo pelos três pontos”

Mário Nelson (ao centro na foto) abraçou o comando da equipa técnica do SL Cartaxo SAD para a temporada 2019/2020. O técnico promete colocar o Cartaxo num patamar superior com muito trabalho e ambição. Em entrevista ao Correio do Ribatejo o técnico adianta aquilo que se pode esperar da equipa para a época que se avizinha.

O Mário Nelson abraçou para a época 2019/2020 um novo desafio depois da passagem pelo União de Almeirim. Como surgiu a oportunidade de se tornar técnico principal do SL Cartaxo SAD?
A oportunidade de treinar o S. L. Cartaxo SAD surgiu com o convite do presidente Faustino Gomes, depois de, ao longo destes anos, no nosso distrito, ter acompanhado o nosso trabalho e no seu entender sermos a equipa técnica que pretendia ver a frente da sua equipa.

Apesar do grande investimento nos últimos anos, o clube ainda não atingiu o patamar da subida de divisão. É esse o grande objectivo desta época?
Eu não posso falar sobre o que aconteceu em épocas anteriores, não me compete a mim. Aquilo que posso dizer é que esta época seremos uma equipa competitiva que vai lutar dentro do campo pelos três pontos, em todos os campos, pela nossa ambição e responsabilidade.

O clube já apresentou alguns reforços mas também houve algumas saídas importantes do clube. Com que jogadores vai lutar no campeonato na próxima temporada?
O plantel com que vamos trabalhar é dentro daquilo que temos apresentado. O que conta para nós são os que ficam e não os que saíram. Como é lógico e tendo em conta o que será o rendimento dos jogadores e aquilo que acharmos que pode melhorar o nosso plantel pode haver reajustes, mas para já são estes os que escolhemos!

Como é que vê a competição na próxima época no campeonato distrital?
O campeonato será uma prova muito competitiva, todas as equipas estão mais competitivas e qualitativamente melhoraram muito. Vais com toda a certeza ser um campeonato muito exigente!

Considera o aumento de equipas benéfico para a competição?
O aumento do número de equipas parece-me a mim benéfico e até defendo que um campeonato com 18 equipas podia ser melhor, isto porque torna o campeonato mais longo, aumenta a motivação dos jogadores pela possibilidade de jogar uma divisão acima. Tal como a entrada da bola oficial do campeonato, na minha humilde opinião, pode melhorar muito a qualidade dos jogos. Aproveito para dar os parabéns à A. F. Santarém por mais um passo na melhoria do nosso campeonato, mas penso que deveria olhar para as datas de início e terminus das épocas com alguma atenção, isto porque o final do campeonato é muito cedo independentemente de agora haver mais duas jornadas, e o seu início obriga as equipas a treinar em Agosto, ainda privadas de alguns atletas que pelo motivo de serem amadores, só podem ter férias nessa altura. Mas acho que temos melhorado de ano para ano.

Para si quem se afigura a lutar pelos lugares cimeiros da tabela?
Pelo que disse anteriormente, parece-me injusto destacar algumas equipas, mas tendo em conta a melhoria dos planteis e até a continuidade dos seus treinadores, garantindo assim a continuidade do trabalho desenvolvido penso que, Coruchense, União de Tomar, União de Almeirim SAD, Mação, Fazendense e Amiense serão os mais sérios candidatos. Mas depois de o campeonato começar é que poderemos ver como as coisas acontecem.Esta é apenas a minha opinião.

A Taça do Ribatejo é também uma competição importante no panorama distrital. Vencer este troféu é também um objectivo?
O nosso compromisso é trabalhar para chegar na luta pelas decisões até ao fim e para isso temos de chegar a final da taça se a queremos conquistar. Quando chegar a altura, pensarmos nos jogos da taça e lutaremos pelo nosso lugar com toda a certeza!

Qual é a sua opinião em relação à criação das SAD nos clubes da distrital?
Hoje em dia é uma realidade no futebol português com a qual temos de conviver, os clubes não têm meios para assegurar um futuro sustentado e sem investimento é impossível. Temos o exemplo da União de Santarém SAD que é novamente um dos clubes mais representativos do nosso distrito porque beneficiou da criação da sua SAD. Eu acho que é bom que apareça gente a querer valorizar e criar riqueza no nosso distrito, tudo isso irá trazer mais qualidade e competitividade ao campeonato.

Qual é a relação entre a equipa técnica e a direcção do clube?
A relação entre a nossa equipa técnica e a administração da SAD é uma relação profissional e de cordialidade, embora também se criem laços de amizade e o mais importante é a relação ser direccionada para o cumprimento dos nossos objectivos. Felizmente temos deixado amizade e boa relação com todas as direcções com quem temos trabalhado e fico feliz por isso.

Considera que o Cartaxo tem boas condições para a prática do futebol?
O Cartaxo tem das melhores condições desportivas do distrito e acho que nem precisa de muitos comentários porque é uma opinião unânime.

Que falta ao Cartaxo para se tornar um grande clube de futebol?
O Cartaxo clube tem uma grande tradição na formação daqueles que têm sido dos melhores jogadores do distrito, mas cheguei à pouco tempo a este projecto e parece-me precoce fazer um comentário a respeito do que falta ao clube, até porque sou treinador da SAD.

Quando é que decidiu ser treinador? Era um sonho que tinha?
Quando jogava nunca me passou pela cabeça ser treinador, tinha ideia de ser director desportivo, aliciava-me muito poder criar condições para os jogadores e os treinadores, ser um director moderno. Mas depois de não chegar a acordo com o Torres Novas para isso apareceram convites para ser treinador e aceitei. Agradeço muito à U.D. Chamusca a aposta feita em mim. O futuro não sei…

Para si quais foram as melhores experiências enquanto treinador?
Já tive várias experiências interessantes e felizmente as pessoas gostam do nosso trabalho, o que é muito reconfortante. A melhor experiência que temos é chegar aos clubes rodeado de dúvidas e desconfiança, pelo que se diz do Mário Nelson, depois de fazermos o nosso trabalho e mostrarmos o que somos como pessoas. É aí que percebemos que as pessoas querem contar connosco, fica uma amizade e um respeito muito grande pelo que somos e fazemos. Essa é a melhor experiência, sem dúvida!

Até onde é que ambiciona chegar nesta carreira?
Não escondo a ninguém. Quero ser profissional de futebol e a minha oportunidade vai chegar, não há pressa.

Que conselhos dá a quem quer seguir esta área?
Que respeite esta profissão, que se dedique, que faça sempre o melhor que possa, mas que também tenha a certeza que não é uma profissão fácil. Mas é tão bom ter responsabilidade e viver de resultados que embora não dependam de ti, dependem do teu trabalho e da tua capacidade de fazer com que os outros sigam a tua mensagem, é desgastante mas muito motivador e desafiante.

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS