Mais dois utentes de lar de Santarém com sintomas hospitalizados

Dois utentes do lar na Póvoa de Santarém onde foi detectado um surto de covid-19 foram esta quinta-feira, 3 de Setembro, encaminhados para o Hospital Distrital de Santarém, após terem apresentado sintomas.

De acordo com Ricardo Gonçalves (PSD), que falava à tarde, encontram-se actualmente 13 utentes no Hospital Distrital de Santarém (HDS), nove no Centro Hospitalar do Médio Tejo, em Abrantes, e 21 utentes assintomáticos na Casa de Repouso Fonte Serrã.

O coordenador da Proteção Civil Municipal de Santarém, José Guilherme, tinha referido hoje de manhã à Lusa que no lar permaneciam 23 utentes que testaram positivo à covid-19, antes de serem conhecidos os novos casos com sintomas.

PUBLICIDADE

O presidente da Câmara de Santarém, que também tem a tutela da Proteção Civil, explicou que houve uma pessoa infectada que regressou ao lar, somando-se aos 22 utentes assintomáticos referidos já na quinta-feira.

“Há um utente que regressou, entretanto, e que também estava positivo. Agora ficam 21 no lar”, realçou.

No entanto, hoje de manhã, os 18 utentes que não testaram positivo foram transferidos para um lar em Fátima, concelho de Ourém.

“Hoje, durante a manhã, sete da manhã, os 18 utentes que deram negativo foram para Fátima”, afirmou o autarca.

Ricardo Gonçalves explicou que a Casa de Repouso Fonte Serrã conta actualmente com 55 casos positivos, dos quais 42 são utentes e 13 funcionários.

Na quinta-feira, o presidente do município ressalvou que as decisões tinham sido tomadas pelas entidades de saúde (saúde pública, saúde hospitalar e saúde familiar), sendo discutidas na comissão distrital da Proteção Civil.

O autarca referiu também que a Segurança Social, em conjunto com a Cruz Vermelha, conseguiu “arranjar 11 funcionários” para trabalharem na Casa de Repouso Fonte Serra, garantindo as condições mínimas de segurança para os utentes que ainda lá se mantêm.

O presidente da Câmara Municipal de Santarém acrescentou que o Agrupamento de Centros de Saúde Lezíria do Tejo disponibilizou um médico e dois enfermeiros para acompanharem os doentes no lar.

PUBLICIDADE

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS