Portugal vai enviar em abril para o Leste da Europa uma Companhia de Atiradores “reforçada”, com a “missão de dissuasão contra qualquer risco de ataque a qualquer país da NATO, neste caso a Roménia”, disse hoje o primeiro-ministro.

Para o Sul da Roménia seguirá no início de abril uma Companhia de Atiradores do Exército, inicialmente composta por 174 militares, mas que vai ser reforçada para esta missão com meios materiais e humanos, em números não divulgados, e que incluem um módulo de operações especiais, um módulo conjunto de informações, um módulo de defesa antiaérea, e um módulo geográfico e meteorológico, tendo o primeiro-ministro reiterado que os militares portugueses não vão atuar na Ucrânia.

“Perante a atual agressão da Rússia à Ucrânia, a NATO entendeu reforçar a sua presença na frente Leste e criar novos grupos de combate, designadamente na Roménia, e Portugal vai como sempre responder presente àquilo que nos é solicitado, que é empenhar os nossos meios, as nossas forças, na capacidade de reforçar a dissuasão para defender a paz no território da NATO”, disse António Costa no Campo Militar de Santa Margarida, em Constância no final de uma demonstração tática da Companhia do Exército que será enviada para a Roménia.

Na sua intervenção, o governante, que não prestou declarações à comunicação social, afirmou que “a paz defende-se, e é essa a razão pela qual Portugal há várias décadas integra a Aliança Atlântica, uma aliança defensiva, que visa garantir a paz em todo o território dos estados que a integram”, tendo feito notar que “Portugal tem integrado diversas missões da NATO, através dos três ramos das Forças Armadas”, em diversos momentos e em diferentes contextos.

“Desde 2016 que a NATO entendeu ser necessário reforçar a defesa da sua frente leste na sequência da invasão pela Rússia do território ucraniano da Crimeia”, afirmou Costa, tendo lembrado que, “desde então, Portugal tem integrado diversas missões de grupos de batalha que permanentemente têm estado instalados quer nos países bálticos, quer na Polónia, quer em outros países de Leste”.

António Costa sublinhou que a “força que está em aprontamento e que brevemente será projetada não se destina a atuar na Ucrânia, prestará a sua missão na Roménia, numa missão de dissuasão contra qualquer risco de ataque a qualquer país da NATO, neste caso a Roménia”, tendo assegurado que a NATO está pronta a defender qualquer estado-membro.

“A mensagem muito clara que a NATO envia é que estamos prontos a defender o território de qualquer um dos estados-membros da NATO, sejam eles do flanco sul, como Portugal, sejam eles na frente Leste, como a Roménia. É ajudando-nos e defendendo-nos uns aos outros que asseguramos a defesa coletiva”, vincou.

António Costa disse ainda que “a defesa coletiva da NATO e a capacidade de dissuasão da NATO é também uma melhor forma de apoiar a luta que a Ucrânia desenvolve, pelo respeito ao direito internacional, o direito à sua integridade territorial e à sua liberdade de autodeterminação”, um apoio que, notou, “tem-se manifestado também diretamente e de forma bilateral por Portugal no contexto da União Europeia, da NATO e das Nações Unidas”.

“Outra forma de o fazer é também esta, sinalizar que estamos preparados, que a NATO está preparada para defender o seu território”, reiterou perante os militares presentes, a quem desejou as “maiores felicidades no cumprimento da missão”.

No âmbito da missão da NATO “Tailored Forward Presence”, Portugal vai enviar no início de abril uma Companhia de Atiradores, composta por 174 militares, para a Roménia, país que faz fronteira com a Ucrânia, no âmbito de uma missão da NATO que visa contribuir “para a dissuasão e defesa da Aliança”.

O plano das Forças Nacionais Destacadas para 2022 previa o envio deste contingente no segundo semestre, tal como aconteceu em 2021. Contudo, o Governo decidiu antecipar este calendário e reforçar a Companhia de Atiradores com quatro novos módulos. Os militares portugueses deverão começar a chegar à Roménia no início de abril para uma missão cuja duração não foi divulgada.

Leia também...

Músico dos Santos & Pecadores morre vítima de acidente de trabalho em Tremez

Rui Martins, um dos músicos da banda Santos & Pecadores, morreu na…

Alterações ao Código da Estrada entram em vigor amanhã com multas agravadas

As alterações ao Código da Estrada aprovadas em Novembro entram na sexta-feira,…

Médico detido por abuso sexual de menores

Um homem de 27 anos foi detido esta manhã no Bairro de…

PSP apreende mais de 250 de aves na Avisan

Levantados três autos de contra-ordenação.