Pandemia transporta Festival ZêzereArts este ano para Évora

O Festival ZêzereArts mudou este ano, excepcionalmente, os seus cursos de verão para Évora, onde realizará uma “mini versão” do evento que decorre desde 2011 na região Centro, com o rio Zêzere como referência.

O promotor do festival, Brian MacKay, disse à Lusa que, devido à covid-19, os cursos de verão, destinados a estudantes avançados em violino, violeta, violoncelo, contrabaixo e música de câmara, vão este ano decorrer no seminário de Évora, onde existem as condições, nomeadamente de espaço, para cumprir as regras impostas pelo combate à pandemia.

Frisando que o festival não abandonou a região que o acolhe – inicialmente Ferreira do Zêzere, com a vila de Dornes como referência, e depois alargado a espaços monumentais da região, desde o Convento de Cristo, em Tomar, e o Castelo de Almourol, em Vila Nova da Barquinha, aos mosteiros da Batalha e de Alcobaça, o maestro afirmou ser intenção estar de volta em 2021, “com um festival especial”.

PUBLICIDADE

Com inscrições abertas até 01 de Julho, os cursos de verão do ZêzereArts são direccionados para estudantes de música de todo o mundo, contando este ano com apenas alguns alunos “de fora”, nomeadamente da Bélgica e de França, dadas as dificuldades de deslocações internacionais.

“O entusiasmo dos alunos, desesperados por terem aulas sem ser por Skype, motivou-nos a procurar um espaço” onde o evento pudesse decorrer, disse Brian MacKay, salientando que, mesmo nas actuais condições, foram já atingidas as 30 inscrições.

Os cursos vão realizar-se de 25 de Julho a 01 de Agosto, sob a orientação de Eliot Lawson e Luís Pacheco Cunha (violino), Jorge Alves (violeta e música de câmara), Catherine Strynkx (violoncelo), Adriano Aguiar (contrabaixo) e Brian MacKay (orquestra).

Além dum “intenso programa” de aulas individuais e de música de câmara, para os quais se podem candidatar agrupamentos já formados ou que serão constituídos no âmbito do curso, integrando a Orquestra do Festival ZêzereArts, a edição deste ano conta ainda com uma ‘masterclass’ com a violoncelista Ophelie Gaillard.

Durante três dias “de intenso trabalho”, Ophelie Gaillard estará com “um grupo restrito de estudantes avançados”, salienta a organização.

Todas as actividades contarão com a assistência permanente da pianista Taíssa Poliakova, para ensaios e acompanhamento dos concertos e recitais.

Não existindo condições para a habitual realização de espectáculos, o ZêzereArts terá este ano apenas três concertos de pequeno formato – de instrumentistas, orquestra e coro, apenas com oito vozes -, que decorrerão no Jardim da Palmeira, em Évora, disse Brian MacKay.

PUBLICIDADE

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS