O artista português Pedro Tropa é o vencedor da primeira edição do Prémio FLAD de Desenho, uma parceria da Fundação Luso Americana para o Desenvolvimento e a Drawing Room Lisboa, visando a promoção de novos artistas portugueses.

O artista foi escolhido entre os dez finalistas seleccionados de um total de 327 candidaturas a esta primeira edição do prémio lançado pela Fundação Luso Americana Para o Desenvolvimento (FLAD), com o intuito de “reconhecer o talento artístico em Portugal e apoiar os artistas promissores”.

O prémio, com um valor monetário de 20 mil euros, foi hoje entregue na Drawing Room Lisboa, feira de arte contemporânea dedicada ao desenho, que decorre na Sociedade Nacional das Belas Artes até domingo, e onde se encontram expostas as obras dos dez finalistas.

PUBLICIDADE

Pedro Tropa nasceu em Santarém, em 1973, e fez a sua formação em Desenho e Fotografia no Ar.Co, tendo terminado os estudos na School of The Art Institute of Chicago, nos Estados Unidos da América.

Há cerca de duas décadas que o seu trabalho em desenho, fotografia, texto e som está fortemente ligado à paisagem e à sua prática enquanto montanhista. É professor desde 2007 e, actualmente, é o responsável pelo departamento de Fotografia do Ar.Co. Pertence desde 2009 ao grupo de artistas da Galeria Quadrado Azul. É artista colaborador desde 2018 do colectivo Osso e é membro fundador do projecto Matéria Simples.

A Drawing Room Lisboa cumpre este ano a sua quarta edição, contando com a presença de 26 galerias nacionais e internacionais que representam mais de 90 artistas de todo o mundo.

Especializada na valorização do desenho contemporâneo, a feira abarca todas as vertentes do desenho português contemporâneo, com galerias como a 3 + 1, Bruno Múrias, Filomena Soares, Pedro Cera, Uma Lulik, Belo Galsterer, Carlos Carvalho ou Miguel Nabinho.

Também estão presentes três galerias portuenses: Presença, Pedro Oliveira e KubikGallery, que se juntam à açoriana Fonseca Macedo, apresentando obras de artistas como Jorge Molder, António Olaio, Luísa Cunha, Pedro Cabrita Reis e Jorge Queiroz, a par de jovens como Carolina Serrano, Sara Bichão e Isabel Madureira Andrade.

A edição deste ano da Drawing Room Lisboa tem ainda um foco especial sobre o contexto do desenho contemporâneo em Berlim, com a presença de três galerias desta cidade: Kristin Hjellegjerde Gallery, Lage Egal, Anaid Art Gallery.

Na abertura da feira, foram anunciados os vencedores dos prémios com apoio da Fundação Millennium bcp, para criação, divulgação e comercialização, e um prémio patrocinado pela Viarco, para Talento Emergente, que distinguiram os artistas Isabel Madureira Andrade, Paulo Brighenti e Guillermo de Foucault, e a Kubikgallery.

A Drawing Room Lisboa foi criada como plataforma de valorização e comercialização do desenho, com o objectivo de promover esta disciplina e os artistas, sendo também dirigida a coleccionadores, galeristas, outros profissionais e interessados em arte.

Foto: Marco Monteiro/Arte351

PUBLICIDADE
Leia também...

Músico dos Santos & Pecadores morre vítima de acidente de trabalho em Tremez

Rui Martins, um dos músicos da banda Santos & Pecadores, morreu na…

Alterações ao Código da Estrada entram em vigor amanhã com multas agravadas

As alterações ao Código da Estrada aprovadas em Novembro entram na sexta-feira,…

Homem morre esmagado em acidente de trabalho em Alpiarça

Um homem morreu num acidente de trabalho, esmagado por uma máquina de…

Morreu Asdrúbal, figura de Santarém

Asdrúbal, figura icónica e popular de Santarém, faleceu na madrugada deste domingo,…