Foto de arquivo
Foto de arquivo

A Igreja Greco-Católica de Lviv, na Ucrânia, está a estudar a realização de uma peregrinação da imagem da Virgem de Fátima pelas zonas daquele país onde existir segurança, informou o Santuário de Fátima.

O anúncio foi feito após o regresso ao santuário da imagem n.º 13 da Virgem Peregrina, na tarde de quarta-feira, depois de ter passado por 15 lugares na Ucrânia, nos últimos sete meses. Para a Ucrânia segue, agora, a imagem de Nossa Senhora de Fátima que foi benzida no dia 13 de maio, no final da peregrinação aniversária ao santuário.

Na ocasião, o reitor do Santuário de Fátima, padre Carlos Cabecinhas, explicou que, na sequência da deslocação da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima à Ucrânia, onde se encontrava desde 17 de março, o arcebispo da Igrea Greco-Católica de Lviv pediu o prolongamento da peregrinação por terras ucranianas, “ou a cedência da imagem” a título definitivo.

O Santuário de Fátima deu resposta negativa ao pedido para a cedência definitiva da imagem, “por uma questão de princípio, mas decidiu, de imediato, oferecer uma imagem idêntica à diocese de Lviv”, o que agora aconteceu.

Segundo informação do Santuário, a peregrinação está a ser estudada com o apoio da Missão Fátima-Ucrânia.

“Agora que a escultura de Nossa Senhora de Fátima é ucraniana, vamos procurar que ela percorra o país”, disse à Sala de Imprensa do Santuário o padre Vasyl Bilash, um dos responsáveis pela peregrinação em Lviv.

O sacerdote recordou a peregrinação da imagem de Fátima nos últimos sete meses, considerando que “foi um sinal de esperança que chegou à Ucrânia”.

“Milhares de pessoas rezaram diante desta imagem e muitas, que estavam assustadas e tinham já desistido da vida diante da guerra e das perdas que sofreram, voltaram a acreditar que será possível vencer a guerra e libertar a Ucrânia da ocupação russa”, disse o sacerdote.

A Imagem n.º 13 da Virgem Peregrina de Fátima chegou à igreja de Nossa Senhora da Natividade, em Lviv, em 17 de março, tendo sido recebida por milhares de crentes que, durante nove dias, conseguiram promover uma novena que culminou com a consagração da Ucrânia e da Rússia ao Imaculado Coração de Maria, numa igreja “intimamente ligada a Fátima”.

O reitor do santuário, que, na quarta-feira, recebeu a comitiva ucraniana, lembrou a oração “permanente e diária” que se tem feito no santuário desde o início da guerra e prometeu “comunhão e união” com a Ucrânia.

“Continuaremos a rezar por vós. Quero que saibam que não estão sozinhos!” disse o sacerdote.

O envio da imagem nº 13 da Virgem Peregrina de Fátima para a Ucrânia foi feita pelo Santuário de Fátima no dia 12 de março, em resposta a um pedido do arcebispo metropolita Greco-Católico de Lviv, tendo em conta o conflito com a Rússia.

“Unidos no mesmo espírito de oração, é com agrado que o Santuário de Fátima responde positivamente ao pedido de envio de uma Imagem da Virgem Peregrina de Fátima”, referia a carta enviada pelo Santuário ao arcebispo e metropolita da Igreja Greco-Católica de Lviv, Ihor Vozniak.

Nessa carta, era explicado que a deslocação desta imagem ao território ucraniano, que acontece pela primeira vez, “se deve a este esforço pastoral de oração pela paz no mundo, em especial na Ucrânia”.

A resposta do Santuário surgiu na sequência de um pedido formal de Ihor Vozniak, efetuado em 10 de março.

“Pedimos que nos possam enviar a Imagem da Virgem Peregrina de Fátima para a Ucrânia para que possamos rezar pedindo a sua proteção para que a paz regresse ao país”, apelou o metropolita da Igreja Greco-Católica de Lviv.

A Imagem n.º 13 é uma réplica da Imagem n.º 1.

Feita segundo indicações da Irmã Lúcia, “a primeira Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima foi oferecida pelo bispo de Leiria e coroada solenemente pelo arcebispo de Évora, em 13 de maio de 1947. A partir dessa data, a Imagem percorreu, por diversas vezes, o mundo inteiro, levando consigo uma mensagem de paz e amor”, segundo informação do santuário.

De acordo com uma nota da instituição, “a génese deste percurso remete para o ano de 1945, pouco depois do final da 2.ª Guerra Mundial, quando um pároco de Berlim propôs que uma imagem de Nossa Senhora de Fátima percorresse todas as capitais e cidades episcopais da Europa, até à fronteira da Rússia”.

“A ideia foi retomada em abril de 1946, por um representante do Luxemburgo no Conselho Internacional da Juventude Católica Feminina, e, no ano seguinte, no preciso dia da sua coroação, teve início a primeira viagem. Depois de mais de meio século de peregrinação, em que a Imagem visitou 64 países dos vários continentes, alguns deles por diversas vezes, a Reitoria do Santuário de Fátima entendeu que ela não deveria sair mais, a não ser por alguma circunstância extraordinária, como foi o caso da Jornada Mundial da Juventude no Panamá, em janeiro de 2019”.

Para responder aos pedidos provenientes de todo o mundo, foram, entretanto, feitas 13 réplicas da primeira Imagem Peregrina.

Leia também...

Músico dos Santos & Pecadores morre vítima de acidente de trabalho em Tremez

Rui Martins, um dos músicos da banda Santos & Pecadores, morreu na…

Alterações ao Código da Estrada entram em vigor amanhã com multas agravadas

As alterações ao Código da Estrada aprovadas em Novembro entram na sexta-feira,…

Médico detido por abuso sexual de menores

Um homem de 27 anos foi detido esta manhã no Bairro de…

PSP apreende mais de 250 de aves na Avisan

Levantados três autos de contra-ordenação.