PJ detém dois homens suspeitos de atearem fogo no concelho da Azambuja

Dois homens, com 18 e 21 anos de idade, foram detidos pela Polícia Judiciária, com a colaboração do posto da GNR de Aveiras de Cima, por fortes indícios da prática de um crime de incêndio florestal no concelho da Azambuja.

Em comunicado, a Directoria da PJ de Lisboa e Vale do Tejo avançou que o incêndio em questão “colocou em risco algumas habitações e outras construções, assim como uma zona de pinhal manso e eucaliptal”.

De acordo com a PJ, nas diligências efectuadas após a inspecção ao local do crime, e “correlacionando vários elementos de natureza probatória”, foram recolhidos “evidentes indícios” da prática do incêndio florestal em causa, o qual, “por motivos fúteis, teve o seu início perto da residência da ex-namorada de um dos detidos”.

Segundo o comunicado, “só a pronta actuação dos bombeiros, que combateram e debelaram o fogo no seu início, o qual deflagrava numa zona agrícola de pasto e mato, evitou que o mesmo se propagasse”.

Fonte da PJ adiantou à Lusa que o incêndio ocorreu a 20 de Setembro, na localidade de Vale Coelho, Aveiras de Cima, tendo sido denunciado por testemunhas, e daí a pronta actuação dos bombeiros.

De acordo com a mesma fonte, o fogo fez arder um hectare de mato denso e pasto no concelho da Azambuja.

Os detidos foram presentes a primeiro interrogatório judicial, ficando sujeitos “à medida de coação não detentiva”.

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS