Portugal conquistou duas medalhas de ouro no Campeonato do Mundo de veteranos de orientação em BTT, no primeiro dia de uma competição em que a Dinamarca conquistou oito medalhas, sete em veteranos e uma em juniores masculinos.

Na prova, que decorreu ontem, 7 de Outubro, no Campo Militar de Santa Margarida, em Constância, num terreno variado constituído por floresta suburbana, parque e zona urbana com uma densa rede de trilhos, Daniel Marques e Susana Pontes, ambos do Clube de Orientação do Centro (COC), de Leiria, venceram os respectivos escalões etários e conquistaram a primeira medalha de ouro do seu percurso desportivo.

Em declarações à Lusa, Susana Pontes, 50 anos, professora de educação física, não escondeu a satisfação pela subida ao mais alto lugar do pódio, tendo a atleta, que representou a selecção nacional de seniores durante vários anos, feito notar que esta “é a primeira medalha de ouro”, tendo já obtido o segundo e terceiro lugar em provas internacionais ao longo da carreira.

“Têm sido alguns anos a treinar, já faço isto desde 2004, tentei sempre dar o meu melhor, obviamente. Hoje, cometi ali um erro e tive que dar tudo até ao fim para ver se as coisas se encaminhavam e realmente tive uma estrelinha de sorte também”, afirmou.

PUBLICIDADE

Questionada sobre o segredo para o sucesso nesta modalidade desportiva, Susana Pontes destacou a importância de “gerir o factor mental juntamente com o físico”, factores que transporta para as suas aulas e modo de vida.

“Se vamos no nosso limite não conseguimos pensar, temos de gerir isso. E muitas vezes na vida o stress leva-nos também a saber ter que abrandar para pensar, e acho que isto é muito parecido com a vida e a gestão daquilo que temos de fazer”, afirmou.

A orientação em Bicicleta de Todo-o-Terreno (BTT) é uma disciplina semelhante à orientação pedestre, mas em que a deslocação é feita em BTT, sendo objectivo conseguir escolher a melhor opção entre os pontos definidos no mapa do traçado definido, numa lógica de corrida individual em contra-relógio, em terreno desconhecido e geralmente de floresta ou montanha.

Daniel Marques, 37 anos, engenheiro civil de profissão, é um dos mais experientes atletas nacionais, tendo hoje conquistado uma vitória “saborosa” e a primeira medalha de ouro da sua carreira.

“Foi saborosa, como é óbvio, a jogar em casa, numa prova extremamente exigente, com adversários à altura. Consegui hoje ser o mais forte, amanhã logo se vê. Foi uma corrida muito interessante e estou com boas expectativas para os próximos dias também”, afirmou, tendo feito notar que esta é a primeira medalha de ouro.

“Sim, é a primeira, é o meu primeiro ano também em masters, portanto, foi uma boa estreia”, notou.

Questionado sobre o percurso desenhado em Santa Margarida, Daniel Marques disse que o mesmo “era desafiante, num terreno muito exigente ao nível de navegação e de circulação, ou seja, muita pedra no caminho, muitos caminhos em mau estado”, tendo destacado a importância de “saber gerir” as condições da melhor forma, perante atletas de todo o mundo, alguns deles profissionais.

Para o atleta de Leiria, esta é uma modalidade “muito desafiante”, tendo feito notar que “não é só andar bem de bicicleta e não é só o nível físico que interessa, mas também a componente mental”, destacando a importância das “escolhas no meio do mapa”, e de “escolher os melhores caminhos para chegar o mais depressa possível” aos pontos de controlo.

“É um jogo, um jogo de labirinto e não é o que anda mais que ganha, mas também o que se orienta melhor”, afirmou.

Com um total de 369 atletas de 26 países em competição até domingo, nos concelhos de Abrantes, Constância, Chamusca e Sardoal, o Médio Tejo BTT Orientação (MTBO2021) é composto, além do Campeonato do Mundo de veteranos, pelo Campeonato da Europa de juvenis e juniores, que já tiveram esta manhã a realização da prova de sprint, pelo Campeonato da Europa de seniores e CX80 Taça do Mundo de seniores.

Na manhã de ontem, o destaque foi para Itália, Rússia, Áustria e Dinamarca, países que conquistaram o ouro na primeira competição do MTBO 2021 nos escalões juvenis e juniores.

Em evidência esteve a formação da Rússia, que conquistou três medalhas (ouro, prata e bronze), sendo que entre os portugueses a melhor classificação ficou a cargo de Marisa Costa em juniores femininos, na 11.ª posição, a 55 segundos da vencedora.

Davide Machado e a júnior Marisa Costa são os representantes portugueses em que a delegação nacional deposita agora esperanças na conquista de novas medalhas, nomeadamente na Taça do Mundo e no campeonato da Europa de elites de orientação.

Depois de Constância, o evento vai ainda acolher os campeonatos de distância média, na sexta-feira, em Alcaravela (Sardoal), a prova de distância longa, no sábado, no Arripiado (Chamusca), e a prova de estafetas mistas e estafetas em Abrantes, no domingo.

PUBLICIDADE
Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Leia também...

Atleta do Santarém Basket Clube morre aos 13 anos de idade

Henrique Francisco, atleta do Santarém Basket Clube, faleceu no passado domingo, 11…

Benfica do Ribatejo incrédulo com decisão da Associação de Futebol de Santarém

O Grupo Desportivo de Benfica do Ribatejo está incrédulo com a resposta…

Árbitro ribatejano apita jogo entre Estrela da Amadora e SL Benfica

João Bento, árbitro da Associação de Futebol de Santarém, vai apitar o…

A festa dos adeptos do Sporting em Almeirim (C/FOTOS)

O Sporting Clube de Portugal sagrou-se campeão nacional, na noite do passado…