As micro e pequenas empresas que pretendam realizar investimentos no Médio Tejo até 235 mil euros para expansão e modernização da produção, podem já candidatar-se ao Programa de Apoio à Produção Nacional. A iniciativa – que apoia a fundo perdido o investimento empresarial produtivo com foco no sector industrial e do turismo – vai ser dada a conhecer à comunidade empresarial pela NERSANT, que apresenta o Programa em sessão online gratuita, já no próximo dia 10 de Fevereiro pelas 14h30.

Na sequência da publicação do Aviso N.º CENTRO-D7-2021-11, de dia 3 de Fevereiro, que determina a abertura de candidaturas ao Programa de Apoio à Produção Nacional no Médio Tejo, a NERSANT – Associação Empresarial da Região de Santarém, com o objectivo de informar a comunidade empresarial sobre este apoio a fundo perdido ao investimento empresarial produtivo, apressou-se a agendar a realização de uma sessão de esclarecimentos online sobre o Programa.

Na sessão, que decorre no próximo dia 10 de Fevereiro, pelas 14h30, a associação vai escrutinar o Aviso, esclarecendo quanto a objectivos e prioridades, natureza dos beneficiários, área geográfica, âmbito dos sectores, critérios de elegibilidade e selecção, taxas de financiamento e prazos de candidatura no âmbito do Programa de Apoio à Produção Nacional para o Médio Tejo. Para além disso, a associação estará disponível para o esclarecimento de dúvidas que possam surgir por parte das empresas participantes no seminário online.

PUBLICIDADE

O Programa de Apoio à Produção Nacional no Médio Tejo financia a fundo perdido os investimentos de micro e pequenas empresas entre os 20 mil e os 235 mil euros, na sub-região do Médio Tejo, composta pelos concelhos de Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Ourém, Sardoal, Tomar, Torres Novas, Vila Nova da Barquinha, Sertã e Vila de Rei.

O Programa tem ainda como foco os sectores industrial e do turismo, financiando investimento empresarial produtivo, uma vez que o Programa tem como objectivo estimular a produção nacional, com vista à redução da dependência face ao exterior. São elegíveis ao Programa custos de aquisição de máquinas, equipamentos, custos de aquisição de equipamentos informáticos, custos inerentes à criação de novas marcas ou colecções, material circulante directamente relacionado com o exercício da actividade, estudos, diagnósticos, auditorias, planos de marketing, serviços tecnológicos/digitais, sistemas de qualidade e de certificação e obras de remodelação ou adaptação, para instalação de equipamentos produtivos financiados no âmbito deste projecto. A taxa de financiamento é de 40% para os investimentos localizados em territórios de baixa densidade e de 30% para os investimentos localizados nos restantes territórios, havendo ainda majorações para empresas que cumpram determinados critérios estabelecidos no Aviso. As candidaturas ao Programa de Apoio à Produção Nacional para investimentos no Médio Tejo estão já a decorrer, encerrando o prazo de submissão de candidaturas às 19h00 do dia 31 de Março.

Os interessados em saber mais informações relativamente ao Programa de Apoio à Produção Nacional – Médio Tejo, podem reservar presença na sessão de esclarecimentos online da NERSANT, no menu agenda do portal da associação em www.nersant.pt.

PUBLICIDADE
Leia também...

‘Casa em Santarém’ nomeada para o prémio internacional de arquitectura

O projecto ‘Casa em Santarém’ da empresa dp arquitectos está nomeado para…

Rotary Clube de Santarém distingue Sílvia Carreira como profissional do ano

Sílvia Carreira, directora técnica do Lar Gualdim, do Centro Social Interparoquial de…

Câmara de Santarém pede 270 mil euros ao BEI para requalificação de avenida

A Câmara de Santarém aprovou hoje a contracção de um empréstimo de…

Aberto concurso para ingresso de 10 bombeiros para os Sapadores de Santarém

A Câmara de Santarém abriu um Concurso Externo de Ingresso para 10…