O centenário do historiador e crítico de arte José-Augusto França vai ser comemorado na sua cidade natal, Tomar, com o programa “É surreal!”, numa alusão à sua ligação ao movimento surrealista.

Nascido em Tomar a 16 de novembro de 1922, José-Augusto França (1922-2021), “figura central da cultura portuguesa dos séculos XX e XXI”, ofereceu “à sua cidade natal a maior parte da sua coleção de arte, com a qual foi criado o Núcleo de Arte Contemporânea (NAC)”, onde se centrarão as celebrações, afirma o município tomarense.

O programa arranca quarta-feira, às 11:00, com a exibição, no cineteatro Paraíso, do documentário da RTP2 “José-Augusto França – Liberdade Cor de Homem”, de Ricardo Clara Couto e Nuno Costa Santos, prosseguindo quinta-feira com a abertura do NAC para visitas acompanhadas, às 11:00 e às 17:00, condicionadas a um máximo de 20 visitantes, afirma uma nota da Câmara de Tomar.

Sexta-feira, no NAC, vai ser apresentada, entre as 14:30 e as 19:00, a peça audiovisual “O França”, de Homem em Catarse (Afonso Dorido) e Francisco Pedro Oliveira, resultante de “uma encomenda criativa feita pelo Município de Tomar no âmbito das comemorações do centenário”.

A obra inspira-se no espólio de José-Augusto França e, sobretudo, “no imaginário do icónico historiador, colecionador e crítico de arte”, juntando uma parte sonora, do multi-instrumentista Afonso Dorido, que “reflete sobre a visão artística e peculiar” do homenageado, e a peça do artista multidisciplinar Francisco Pedro Oliveira, colocada no exterior do NAC.

A instalação audiovisual, que “propõe a pintura expandida, a procura e confronto com a simultânea condição unidirecional e hiperdimensional de um quadro”, ficará patente até 02 de dezembro, afirma a nota.

O município destaca como “um dos momentos mais importantes desta comemoração” o lançamento, no sábado, às 16:00, no NAC, do segundo volume dos Cadernos Culturais Nabantinos, publicação “que reúne um vasto conjunto de testemunhos de figuras de relevo da cultura portuguesa sobre a vida e a obra do ‘Professor França’ (como frequentemente é tratado nos textos), bem como sobre alguns dos temas sobre os quais recaiu a sua atenção”.

A programação culmina, no dia 02 de dezembro, às 21:30, no cineteatro Paraíso, com o concerto “Homem em Catarse convida Francisco Oliveira”, numa “estreia ao vivo” da peça audiovisual criada especificamente para o centenário, baseada em “manipulações videográficas e de técnicas de modelação 3D”, num desafio à “perceção dos lugares de sete fontes”, acrescenta.

Historiador, sociólogo e crítico de arte, José-Augusto Rodrigues França nasceu em Tomar, em 16 de novembro de 1922, e destacou-se também no ensino, criando os primeiros mestrados na área da História da Arte no país.

José-Augusto França morreu em 18 de setembro de 2021, em França, deixando vasta obra de referência na área das artes visuais e da cultura.

Leia também...

A herdade no Alviela e o pergaminho que ia para o lixo

Pergaminho do século XII salvo do lixo em Vale de Figueira.

Lenda da Sopa da Pedra chega às crianças de todo o mundo através da Expo 2020 Dubai

A lenda da Sopa da Pedra, prato típico de Almeirim, foi incluída…

Associação ‘Praça Maior’ fecha gestão da Praça de Touros ‘Celestino Graça’ com sentido de missão cumprida

A Associação “Praça Maior”, responsável pela organização das corridas de toiros na…

Gilberto Gil dá concerto com Adriana Calcanhotto em Santarém

A 7 de Novembro.