Seminário Internacional sobre a Amêndoa reúne mais de 300 pessoas na Escola Agrária de Santarém

O II Seminário Internacional AlmondPT “O Potencial e a Rentabilidade da Cultura da Amêndoa” reuniu mais de 300 pessoas ligadas ao sector agrícola, entre produtores, técnicos e investidores, no passado dia 17 de Setembro, no auditório da Escola Superior Agrária de Santarém.

A segunda edição deste evento organizado pela AlmondPT em parceria com a Escola Agrária de Santarém e a Cadova teve como objectivo disponibilizar informação e promover a partilha de experiências entre agricultores sobre o potencial da cultura da amêndoa.

Cumprindo este objectivo, os painéis apresentados da parte da manhã procuraram dar resposta às questões mais relevantes que a nova geração de amendoais, os amendoais de regadio têm levantado.

Os presentes tiveram a oportunidade de ouvir dois dos maiores especialistas internacionais em amendoais, David Doll, da Universidade de Davis, Califórnia que fez um balanço da evolução da cultura da amêndoa na Califórnia, revelando alguns dados no que diz respeito à dimensão das
explorações e alguns factores que proporcionaram o crescimento exponencial desta cultura, como a rega e a nutrição.

Xavier Miarnau, investigador especializado em amêndoa no IRTA, fez uma análise da actualidade e abordou as perspectivas futuras e potencialidades da cultura da amêndoa na península Ibérica, na qual dedicou parte da intervenção à questão das podas. Levantou alguns pontos de ponderação no
sentido de se poder avaliar qual será a melhor opção quanto ao tipo de amendoal, tendo em conta as opções de amendoal intensivo ou em sebe.

O acompanhamento dos amendoais, desde a plantação até à colheita foram os tópicos abordados por Marisa Juan-Dalac da Novalmendro que apresentou ainda as diferentes variedades de amêndoa e o rendimento das mesmas em cultivo superintensivo, terminando com a apresentação da colheita mecânica.

Carlos Silva, presidente da CNCFS, traçou o panorama nacional de desenvolvimento do mercado dos frutos secos em Portugal, em especial no que diz respeito à fileira da amêndoa. Vasco Reis, presidente da CADOVA abordou o tema do apoio duma Organização de Produtores (OP) à cultura da amêndoa no Ribatejo.

Ainda houve oportunidade para falar de questões fundamentais como das necessidades hídricas e o controlo da rega num amendoal intensivo, através da intervenção de António Ramos da Aquagri e das perspectivas dos futuros apoios às plantações de amendoais no novo quadro comunitário.

Para finalizar, Afonso Lebre, da Prime Almonds apresentou uma conta de cultura do amendoal intensivo, muito importante por trazer dados reais de uma exploração.

Da parte da tarde houve uma visita de campo à da Lagoalva de Baixo na qual tivemos a oportunidade de observar a colheita com máquina automática de um amendoal em sebe.

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS