Surto fecha fábrica da Paladin na Golegã

A fábrica Mendes Gonçalves, maior empregador no concelho da Golegã, encerrou hoje as suas instalações depois de 11 dos 348 funcionários terem testado positivo à covid-19, disse fonte da administração da empresa.

“Nós temos 348 funcionários e até ao momento temos 11 casos positivos e 51 negativos”, disse a administradora Alexandra Mendes Godinho, tendo afirmado que “as instalações da fábrica foram encerradas à meia noite” e que durante o dia de hoje foram realizados os restantes 256 testes, estando “toda a comunidade Mendes Godinho testada”.

Os resultados dos testes hoje realizados deverão ser conhecidos na quarta-feira, estando os 11 funcionários infectados “assintomáticos ou com leves sintomas” da doença.

PUBLICIDADE

A administradora da fábrica Mendes Gonçalves, dona da marca Paladin, disse ainda que a activação do plano de contingência da fábrica para o caso de surgir algum caso de um trabalhador infectado pelo novo coronavírus foi activado na sexta-feira, “quando foram detectados os dois primeiros casos” positivos, tendo sido “decidido, de modo proactivo, suspender a laboração, testar todos os funcionários e fazer a higienização e desinfecção total da empresa”, situação que está previsto decorrer na quarta-feira.

“No dia 18 de Setembro [sexta-feira], após detectado o primeiro caso positivo na equipa Mendes Gonçalves, tomámos de imediato a opção de proactivamente encerrar, na totalidade, as nossas instalações para levarmos a cabo uma acção de higienização e desinfecção extra de todos os espaços e procedermos à operação de testagem voluntária a todos os nossos colaboradores”, explicou, de modo a “garantir a devida protecção às equipas” e para “travar os contágios” na comunidade envolvente.

Com 348 trabalhadores, a Mendes Gonçalves, empresa que se dedica à produção de vinagres, molhos e temperos, é a maior empregadora do concelho da Golegã, distrito de Santarém, tendo estes sido os primeiros casos de covid-19 detectados na empresa.

Em comunicado, a Mendes Godinho dá conta que “desde o início desta pandemia acompanha a evolução da doença e respectiva propagação, tendo posto em acção (…) rigorosos cuidados e regras de segurança para garantir a saúde das suas equipas e da comunidade em geral”, tendo implementado medidas como a “distribuição de material de protecção individual a todos os colaboradores, medição de temperatura à entrada do local de trabalho, teletrabalho para todos os colaboradores que pudessem assegurar as suas funções neste novo registo, desfasamento de turnos e higienização dos espaços”, entre outras.

“Estas medidas foram implementadas em tempo útil e seguidas com o maior dos cuidados o que, acreditamos, verificou-se determinante para ultrapassarmos 6 meses sem registar nenhum caso positivo de covid-19 numa equipa que integra mais de 300 colaboradores e não obstante o constante aumento de casos na região”, refere a empresa, indicando estar a “trabalhar em estreia relação com as autoridades, seguindo todas as indicações das mesmas, mantendo o acompanhamento, em regime diário, dos desenvolvimentos desta pandemia, por forma a validar ou eventualmente corrigir as medidas adoptadas até aqui”.

Portugal contabiliza hoje mais cinco mortos relacionados com a covid-19 e 463 novos casos de infecção, segundo o boletim epidemiológico da Direcção-Geral da Saúde (DGS).

Desde o início da pandemia Portugal já registou 1.925 mortes e 69.663 casos de infecção.

A DGS indica que três mortes foram registadas na região de Lisboa e Vale do Tejo e duas na região Norte.

Em vigilância estão 40.418 contactos, menos 46 em relação a segunda-feira

Os dados indicam ainda que 546 pessoas com covid-19 estão internadas nos hospitais (mais 28 em relação a segunda-feira), das quais 70 (mais nove) em unidades de cuidados intensivos.

Na região de Lisboa e Vale do Tejo, onde se verifica o maior número de infecções no país, foram notificados mais 198 novos casos, contabilizando 35.641 casos de infecção e 734 mortes desde o início da pandemia.

A região Norte regista hoje mais 191 casos, somando agora um total de 25.099, com 877 mortos.

Na região Centro registaram-se mais 36 casos, tendo agora 5.687 infecções e 257 mortos contabilizados desde o início da pandemia.

No Alentejo foram registados mais 12 casos de covid-19, totalizando 1.352 casos e 23 mortos até agora.

A região do Algarve tem hoje notificados mais 21 casos de infecção, somando um total de 1.442 casos e 19 mortos por covid-19.

Na região autónoma dos Açores foram registados dois casos nas últimas 24 horas, somando 254 infecções e 15 mortos desde o início da pandemia.

A Madeira regista mais três casos, contabilizando 208 infeções, sem óbitos até hoje.

Nas últimas 24 horas 238 doentes recuperaram, pelo que 45.974 pessoas já superaram da infecção desde o início da pandemia em Portugal.

Os casos confirmados distribuem-se por todas as faixas etárias, situando-se entre os 20 e os 59 anos o registo de maior número de infecções, com um destaque ligeiro da faixa etária entre os 40 e os 49.

No total, o novo coronavírus já afectou em Portugal pelo menos 31.511 homens e 38.152 mulheres, de acordo com os casos declarados.

Do total de vítimas mortais, 972 eram homens e 953 mulheres.

PUBLICIDADE

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS