Suspeitos de violência doméstica em Ferreira do Zêzere e Cartaxo em prisão preventiva

Dois homens suspeitos de violência doméstica, um sobre a mãe e outro sobre a companheira, detidos em Ferreira do Zêzere e no Cartaxo, vão ficar em prisão preventiva, afirmou esta quinta-feira, 21 de Março, o Ministério Público.

Em comunicado, a Procuradoria da Comarca de Santarém afirma que um dos detidos, oriundo de Ferreira do Zêzere, com antecedentes de alcoolismo, agrediu a mãe, com 63 anos, à cabeçada, sendo seu objectivo expulsar a progenitora de casa para ficar aí a residir.

No primeiro interrogatório judicial, em que foi decretada a medida de coação de prisão preventiva, o Ministério Público (MP) “evidenciou os perigos de fuga bem como o perigo de continuação da actividade criminosa e de perturbação grave da ordem e tranquilidade públicas caso se mantivesse em liberdade, tanto mais que, frequentemente, a vítima tinha que fugir da própria residência e refugiar-se em casa de vizinhos”.

O outro caso relatado refere-se ao homem de 77 anos detido quarta-feira no Cartaxo por suspeita de crime de violência doméstica sobre a companheira, acrescentando o Ministério Público à informação divulgada hoje pela PSP que foram apreendidas, em diversos locais, armas de fogo que o homem vendia numa loja de antiguidades.

Para a aplicação da medida de coação mais gravosa, o MP alegou o facto de a vítima residir e trabalhar “numa pequena oficina contígua a uma residência improvisada pelo arguido” e a existência dos “perigos de continuação da actividade criminosa, perturbação grave da ordem e tranquilidade públicas, além do perigo para a aquisição, conservação e veracidade da prova”.

Para o MP, medidas de afastamento da vítima, com ou sem vigilância electrónica, seriam insuficientes, “atendendo à proximidade das residências e do local de trabalho (comum a ambos) e, também, pelo facto de o arguido não ter outro alojamento que possibilitasse a aplicação de medidas não detentivas da liberdade”.

Segundo o comunicado, está “já a correr um inquérito sobre factos da mesma natureza (violência doméstica), o qual foi incorporado nos autos principais”, prosseguindo a investigação a cargo da PSP do Cartaxo.

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS