“Temos que ter a sorte de encontrar alguém que aposte nas nossas capacidades”

José Luís Maia, natural de Ulme, sagrou-se recentemente campeão da Taça de Portugal de TT na categoria T8. Apesar de residir em Almeirim há 11 anos, gere uma empresa de metalomecânica na Chamusca. O piloto confessa uma grande paixão pelo mundo do TT, onde para além da vitória em auto, competiu vários anos em moto.

Depois das motos, começa a competir em auto. Como surge esta paixão pelos autos?
Depois de uma paragem de 10 anos resolvi voltar. Como a idade já era outra, as responsabilidades aumentaram e pensei que as motos já seria um pouco arriscado. Assim pensei em tentar os autos.

Onde é que se estreia na modalidade?
Na Baja TT de Reguengos de Monsaraz, em 2015, ao volante de um UMM TROFÉU.

PUBLICIDADE

Começou na modalidade como amador mas neste momento pertence a uma equipa profissional. Como é que se chega a este nível?
Temos que ter a sorte de encontrar alguém que aposte nas nossas capacidades, tanto ao nível de equipa como de patrocinadores.

Venceu recentemente a Taça de Portugal de TT na categoria T8. Como é que a equipa se prepara para uma competição deste nível?
Com muitos treinos e testes a nível do carro e com uma boa preparação física.

Onde é que a equipa treina?
Em percursos fechados, em diversos locais.

Qual foi a competição que mais o marcou como piloto?
Houve duas provas que me marcaram mais como piloto de auto. Uma foi em 2017 na Baja TT de Reguengos, onde venci a classe com o UMM e a Baja Portalegre 500 de 2019, que passou na minha terra natal e onde venci tudo o que havia para ganhar na minha categoria, consagrando-me Campeão Nacional da Taça de Portugal de TT, ao volante da NISSAN D22.

Desde que começou até aos dias de hoje, o que é que mudou neste desporto?
A nível de percursos e de provas não há muito a dizer, mas ao nível dos carros a evolução é muito acentuada.

Como se gere a relação com o parceiro de equipa?
Temos que ter inteira confiança nele porque é ele que nos diz todas as notas do percurso e acaba por também ser ele a gerir praticamente quase tudo dentro do carro.

Quais são os objectivos na modalidade para o futuro?
Os objectivos ainda são incertos mas gostava de voltar a competir.

Que conselhos dá a quem quer competir em TT?
Há que acreditar que o seu dia vai chegar, dar o melhor em cada treino, em cada prova e lutar até ao fim.

PUBLICIDADE

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS