U. Santarém, Marinhais, Coruchense e Abrantes e Benfica na meia-final da Taça do Ribatejo

Os favoritos à passagem para a meia-final da Taça do Ribatejo, à excepção do Abrantes e Benfica, venceram este domingo, 27 de Janeiro, os jogos dos quartos-de-final. Ficaram pelo caminho Amiense, Pontével, União de Tomar e Ferreira do Zêzere.

A eliminatória da taça teve um “outsider” a apurar-se para a meia-final, o Abrantes e Benfica que venceu por 3-1 o Ferreira do Zêzere e é curiosamente a única equipa na Europa só com vitórias. O Coruchense teve de ir à marcação de pontapés de penalti frente ao União de Tomar, onde ganhou por 3-0, para garantir a passagem num jogo que terminou empatado a uma bola no tempo regulamentar. O Marinhais apurou-se ao ganhar por uma bola a zero ao Pontével. A União de Santarém venceu em casa o CD Amiense, por 2-0, com os golos da formação escalabitana a aparecerem apenas na segunda parte.

Os jogos da meia final já estão decididos. Enfrentam-se a 3 e 24 de Março, o União de Santarém contra Marinhais e Abrantes e Benfica frente Coruchense.

O Correio do Ribatejo acompanhou o jogo entre o Amiense e a União de Santarém. Leia abaixo a crónica do jogo.

Fabinho saltou do banco para matar o jogo

Campo Chã das Padeiras, em Santarém, com boa assistência, em tarde fria e ventosa.
Árbitro: Diogo Pereira, assistido por Samuel Dionísio e Nuno Ferreira
U. Santarém: Coli, Adilson, Rony, Ndamy, Serginho, David, Ganhão e António, Leo (Telmo, 82’) Pratas (Noque, 65’) e Pedro Augusto (Fabinho, 82’).
Suplentes não utilizados: Ruben, Bexiga, Nuno Afonso e Rui Simões.
Treinador: Mário Ruas.
Acção disciplinar do árbitro: cartões amarelos para Ganhão (57’) e Coli (77’).

Amiense: Chico, Fábio Marques (Ganso, 75’), Bernas, Tiago Mateus, Ricardo Rei (Tico, 85’), Diogo Queirós, Costinha (Hugo Pereira, 85’), Miguel Mateus (cap.), Fábio Dâmaso, Leonardo Lista e Moleiro.
Suplentes não utilizados: Leandro, Formiga, Diogo Antunes e Filipe Dâmaso.
Treinador: Jorge Peralta.
Acção disciplinar do árbitro: cartões amarelos para Fábio Marques (63’), Ganso (75’) e Fábio Dâmaso (94’).

Golos: 1-0 Ganhão (68’) (g.p.), 2-0 Fabinho (84’).
Ao intervalo: 0-0.

A União Desportiva de Santarém apurou-se este domingo para as meias-finais da Taça do Ribatejo, ao vencer em casa o CD Amiense, por 2-0, com os golos da formação escalabitana a aparecerem apenas na segunda parte.
Começou melhor a equipa orientada por Jorge Peralta, sobretudo aproveitando faltas sofridas a meio-campo para as transformar em perigosos lances de bola parada, através de milimétricos cruzamentos de Fábio Dâmaso à procura de Moleiro e Leonardo Lista.
Logo aos 7 e aos 12 o Amiense dispôs de dois lances em que levou o perigo à baliza de Coli.
No minuto seguinte (aos 13’), Leo não conseguiu emendar para a baliza um cruzamento da esquerda do seu ataque.
A turma de Mário Ruas equilibrava o jogo em número de oportunidades logo aos 17’, com Pedro Augusto a visar a baliza de Chico, mas por cima do travessão.
O guardião Amiense foi mesmo decisivo ao evitar, no minuto seguinte, que Leo abrisse o activo para os da casa.
O intervalo chegou com um nulo que castigava a falta de eficácia de ambos os ataques, numa partida com pouco espaço para se jogar, muito embora o esforço de ambas as equipas em praticar bom futebol.
Após o intervalo, apareceu Serginho no jogo. O lateral da União foi decisivo, no corredor esquerdo, no transporte da bola para a sua frente de ataque, que, por seu intermédio, conseguiu chegar mais vezes com perigo à baliza de um Amiense que sentiu necessidade de baixar um pouco as suas linhas.
Aos 67’, o central Rony rematou de cabeça para a baliza do Amiense, Chico defendeu para a frente, e a bola sobra de novo para o ataque da União que vê um jogador ser rasteirado na área. Penalty que não ofereceu grande contestação. Chamado a bater, Ganhão permitiu a defesa a Chico, mas na recarga conseguiu emendar e abrir o activo no campo Chã das Padeiras.
A estratégia do Amiense passava por servir as suas pedras mais avançadas, Lista e Moleiro, tendo este, aos 71’, desviado de cabeça para as mãos do guardião Coli.
Mário Ruas mexeu na equipa e ganhou a partida com a aposta em Fabinho, aos 82’. Dois minutos depois, o avançado recebe na direita, reflete para dentro e remata cruzado, rasteiro, para o segundo golo da União que assim carimbava o passaporte para as meias-finais da prova.
Nos cinco minutos de tempo extra dados pelo árbitro, a bola rondou as duas áreas, com Tico e Moleiro com oportunidades soberanas para colorir o marcador com o merecido golo de honra do Amiense e com Noque (95’) a ter nos pés uma soberana oportunidade para chegar aos 3-0, mas a bola foi afastada na linha de golo pela defensiva visitante.
Diogo Pereira, o árbitro do encontro, teve o mérito de adiar a amostragem do primeiro cartão amarelo, conseguindo segurar a partida e sem erros de monta, longe de interferir no desfecho do jogo.
A U. Santarém segue, com justiça, para as meias-finais da Taça do Ribatejo, sobretudo pela qualidade do seu plantel (e, consequentemente, do seu banco) tendo o Amiense vendido cara a derrota, mostrando-se uma equipa irrequieta e sempre com os olhos na baliza contrária, mas sem os argumentos que a União dispõe e que, no segundo tempo (e apenas nesse) vieram ao de cima.

Palavra dos Treinadores:

Mário Ruas (U. Santarém): “O objectivo era passar às meias-finais, ganhamos, objectivo conseguido…”

O objectivo era passar às meias-finais, ganhamos, objectivo conseguido contra um boa equipa, bem organizada, bastante unida e que nunca desistiu mesmo estando a perder por um ou dois a zero e procurou sempre contrariar, o que veio valorizar ainda mais a nossa vitória. Dar os parabéns aos nossos jogadores pelo segundo ano consecutivo estarmos nas meias-finais da Tala do Ribatejo. O objectivo é jogar as meias-finais e tentar ir à final. No campeonato temos um jogo muito importante, tal como são todos. Vão ser onze jogos que serão onze finais , se queremos andar em primeiro temos de fazer o nosso papel e o nosso papel é ganhar o máximo de jogos possíveis para podermos chegar ao topo.

Jorge Peralta (Amiense): “ O nosso sonho era chegar à final. Acho que demos uma excelente imagem de equipa, fomos uma boa equipa e com carácter.”

Foi um jogo muito equilibrado entre as duas boas equipas. Por aquilo que fizemos na primeira parte acho que merecíamos ter saído para o intervalo a vencer. A diferença neste jogo foi um penalti que é marcado e outro que não é marcado. É penalti contra nós, não tenho dúvidas nenhumas, mas é também grande penalidade contra o Santarém quando a bola bate na mão do jogador. Isto faz parte do futebol e não aqui a agarrar-me a nada disso. Depois acontece o segundo golo já numa fase em que estamos partidos à procura do golo do empate. Passou o Santarém, nós ficamos pelo caminho. Queríamos muito não ir às meias-finais mas sim à final porque ser hoje eliminado ou para a semana é igual. O nosso sonho era chegar à final. Acho que demos uma excelente imagem de equipa, fomos uma boa equipa e com carácter. O Santarém é uma equipa recheada de jogadores de outros campeonatos e que apostaram uma enormidade para subir de divisão e nós demos uma boa imagem, imagem do que é trabalhar jogadores da terra e da formação. Eles demonstraram isso hoje. A minha maior satisfação é sair daqui com orgulho enorme nestes jogadores apesar da derrota. Empenharam-se, trabalharam e no final um orgulho enorme neles e nos sócios. Acabaram o jogo debaixo de uma ovação intensa dos nossos sócios e isso é porque eles gostaram da nossa atitude, não gostaram da derrota porque ninguém gosta mas o futebol é assim e hoje alguém tinha de ficar pelo caminho. A Taça já foi, temos de levantar a cabeça porque temos campeonato domingo, não estamos envergonhados de nada e vamos continuar o nosso caminho para tentar fazer a melhor classificação possível.

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS