Os Vinhos do Tejo estão de regresso às praias, numa iniciativa promovida pela Comissão Vitivinícola Regional do Tejo, em parceria com a Câmara Municipal de Almeirim, que celebra este ano a sua quinta edição. ‘Vinhos do Tejo nas Praias’ arranca já no próximo dia 15 de Julho e vai até dia 15 de Agosto, percorrendo dez praias do Centro ao Sul da costa portuguesa. Com uma agenda cheia, esta acção tem como objectivo dar a conhecer e promover alguns dos vinhos da região – neste caso, em exclusivo, do concelho de Almeirim –, ideais para os dias quentes de Verão, brindando e refrescando os veraneantes dos areais percorridos.

Nesta edição, a Nazaré volta a ser eleita para dar as boas-vindas à acção ‘Vinhos do Tejo nas Praias’, recebendo-a já esta sexta-feira, Sábado e Domingo, dias 15, 16 e 17 de Julho. Os Vinhos do Tejo seguem viajem até à Ericeira, no dia 20, e São Martinho do Porto, a 22. No fim-de-semana de 23 e 24 rumam à praia da Foz do Arelho e a 26 e 27 de Julho ao Baleal. Depois é altura de brindar ao Verão ao sabor dos Vinhos do Tejo nas praias do Algarve, com paragem na Praia da Rocha, de 30 de Julho a 01 de Agosto; em Lagos, de 03 a 05 de Agosto; na Quarteira, de 06 a 08; em Albufeira, nos dias 09 e 10; e, por fim, em Monte Gordo, de 13 a 15.

A caravana ‘Vinhos do Tejo nas Praias’ vai levar na bagagem cinco brancos e três rosés, ideais para degustar nos dias quentes, a solo ou a acompanhar as refeições leves e frescas desta época estival. Somando um total de oito referência vínicas, têm origem em quatro produtores distintos, que em comum têm a origem no concelho de Almeirim. São eles a Adega de Almeirim, a Quinta da Alorna, a Quinta do Casal Branco e a Fiuza. Os Vinhos do Tejo em questão estão, na sua maioria, disponíveis de Norte a Sul, em hiper e supermercados – à excepção do ‘Terra de Lobos rosé’, mas cuja compra pode ser feita na loja on-line do produtor –, com o preço de venda ao público recomendado indicado na lista abaixo. Na acção, a degustação é gratuita e há brindes “sem álcool” para os mais novos.  

Vinhos do Tejo nas Praias 2022

Produtores, vinhos presentes na acção e PVP da garrafa

Adega de Almeirim

Obelisco branco (€2,19)

Obelisco rosé (€2,19)

Cacho Fresco branco (€1,99)

Cacho Fresco rosé (€1,99)

Quinta da Alorna

Quinta da Alorna branco (€4,49)

Lutra branco (€3,99)

Quinta do Casal Branco

Terra de Lobos rosé (€4,99)

Fiuza

3 Castas branco (€3,99)

Sobre a Região Vitivinícola do Tejo:

A Região Vitivinícola do Tejo está localizada no coração de Portugal, a uma curta distância de Lisboa, a capital. A região é cortada a meio pelo rio que lhe dá nome. Largo e imponente, o Tejo é um dos maiores rios de Portugal. Este território vitivinícola tem uma área global de cerca de 7.000 km2, dos quais 12.500 hectares são vinhas, e abrange 21 municípios, um no distrito de Lisboa e os restantes no distrito de Santarém. O rio Tejo é o elemento central e imprime uma profunda influência na caracterização da região, providenciando-lhe distintos «terroirs»: o Bairro, com solos argilo-calcários e alguns xistosos; o Campo, com terras mais férteis situadas em zona de aluvião; e a Charneca, com solos arenosos mais pobres. Também o rio dita que a amplitude térmica seja elevada, com dias bastante quentes e noites frescas e húmidas, diminuindo desta forma o stress hídrico das plantas (videiras) e assegurando uma correcta maturação das uvas. Um famoso crítico inglês resumiu numa só frase o impacto destas características edafoclimáticas nos Vinhos do Tejo: «hot days, cold nights, cool wines». Esta região está imemorialmente ligada à produção de vinhos e possui excelentes condições naturais para o cultivo da vinha e para a produção de vinhos, onde a frescura dada pela natureza é evidente. Esta frescura, associada a uma graduação alcoólica moderada, dá origem a vinhos equilibrados e frescos, com aromas frutados, que podem ser apreciados em todas as ocasiões. Uma jovem geração de viticultores e enólogos, que sabe aliar os conhecimentos adquiridos nas universidades à tradição das gerações que os precederam, cria vinhos consistentes e de grande qualidade, com estilos empolgantes e diferenciados. Nos brancos, o perfil traduz-se em vinhos muito aromáticos, com a presença de fruta tropical e citrina, também frescos e elegantes. Os vinhos tintos são equilibrados e frescos; no nariz, a fruta é uma presença garantida. Nos tintos de guarda, nota-se alguma presença de madeira. A região produz também vinhos rosés, espumantes, frisantes, vinhos licorosos e colheitas tardias, num espectro que permite degustar Vinhos do Tejo nos mais variados momentos. O Tejo tem alguns dos mais vibrantes e acessíveis vinhos a emergir em Portugal, oferecendo uma gama diversificada de estilos que apelam a uma variedade de gostos e orçamentos. Constituída por um património muito rico, a região dos Vinhos do Tejo reúne um conjunto de tesouros históricos que vale a pena visitar e que retratam tempos idos, desde as ruínas romanas aos castelos góticos e dos mosteiros manuelinos aos vilarejos medievais. Para os portugueses, esta região é conhecida como terra de vinhas, de olivais, de sobreiros e dos famosos cavalos Lusitanos, mas também pela sua rica e saborosa gastronomia e pelas belas paisagens feitas de verde e de água.

Sobre a Comissão Vitivinícola Regional do Tejo:

A Comissão Vitivinícola Regional do Tejo (CVR Tejo) foi criada a 24 de Novembro de 2008, tendo sucedido à Comissão Vitivinícola Regional do Ribatejo, fundada a 17 de Setembro 1997. É uma associação interprofissional que representa a produção e o comércio do sector vitivinícola da região. A sua competência consiste em controlar o cumprimento das regras e a certificação dos vinhos brancos, rosés, tintos, espumantes, licorosos e vinagres produzidos na região com direito a Denominação de Origem do Tejo (DOC do Tejo) e a Indicação Geográfica Tejo (IG Tejo). Todos os vinhos certificados pela CVR Tejo têm o selo de garantia ‘Tejo’ no rótulo. Tem como missão ajudar os produtores a aumentar a sua presença nos mercados estratégicos, com vinhos empolgantes e estilos diferenciados, oferecendo ao consumidor, continua e consistentemente, qualidade a bom preço. Com 87 agentes económicos associados – de entre adegas cooperativas, produtores e engarrafadores, empresas vinificadoras e engarrafadores da região –, a CVR Tejo é presidida por Luís de Castro, desde 01 de Maio de 2014. José Barroso ocupa o cargo de Presidente do Conselho Geral e João Silvestre o de Director-Geral. Luís Vieira e Diogo Campilho são, respectivamente, Vogais do Comércio e Produção. Integra ainda a CVR Tejo um Gestor de Qualidade, um Departamento de Viticultura, uma Estrutura de Controlo e Certificação, da qual fazem parte uma Câmara de Provadores e um Laboratório de Análises subcontratado e um Departamento de Promoção, destinado a apoiar os produtores, nos mercados nacional e internacional.

Leia também...

Músico dos Santos & Pecadores morre vítima de acidente de trabalho em Tremez

Rui Martins, um dos músicos da banda Santos & Pecadores, morreu na…

Alterações ao Código da Estrada entram em vigor amanhã com multas agravadas

As alterações ao Código da Estrada aprovadas em Novembro entram na sexta-feira,…

PSP apreende mais de 250 de aves na Avisan

Levantados três autos de contra-ordenação.

Homem morre esmagado em acidente de trabalho em Alpiarça

Um homem morreu num acidente de trabalho, esmagado por uma máquina de…