A 11.ª edição da ‘Gala Tejo’ foi adiada para o próximo dia 17 de Julho, devido ao recente aumento de casos da Covid-19 na região de Lisboa e Vale do Tejo e pelas novas regras impostas pelo Governo. A Comissão Vitivinícola Regional do Tejo e a Confraria Enófila de Nossa Senhora do Tejo, entidades promotoras e organizadoras decidiram que o adiamento era a melhor opção para o evento que estava previsto para o passado sábado, 19 de Junho.

“Independentemente do trabalho já realizado para a organização deste evento, dos custos inerentes e da vontade que todos temos em premiar os nossos produtores, restaurantes e restantes parceiros, pelo fantástico trabalho que têm feito pela Região dos Vinhos do Tejo, sabemos que a saúde e a segurança de todos devem estar acima de tudo e que este evento poderia, eventualmente, vir a criar um novo foco de infecção dado que estariam presentes cerca de 200 pessoas.”, afirma a organização.

Este ano o evento traz novidades, no formato e nos premiados, mas o objectivo mantém-se e passa por promover a marca ‘Vinhos do Tejo’, estimulando a produção vínica de qualidade e dando a conhecer os néctares e a própria região. Sem dúvida, um momento de união e confraternização.

No Hotel dos Templários, a ‘Gala Tejo’ vai acontecer durante a tarde, com cocktail nos jardins, seguido da cerimónia de anúncio e entrega de prémios e de um jantar volante, também em espaço exterior. No que toca aos prémios de e para a região, serão revelados os vencedores do ‘Concurso Vinhos do Tejo’ e os tão especiais galardões de Empresa Dinamismo, Empresa Excelência, Enólogo do Ano, Prémio Carreira e, em estreia este ano, Prémio Sustentabilidade.

PUBLICIDADE

Em vez dos habituais vencedores do Tejo Gourmet, cuja realização passou a ser bienal, na Gala deste ano vão ser entregues prémios a três iniciativas debutantes: o ‘Concurso de Fotografia Vinhos do Tejo’, que decorreu em 2019 e cujos vencedores já são conhecidos, mas falta levar os “fotógrafos” ao palco para receberem os merecidos prémios; o ‘Tejo Academia’, que tem como objectivo formar e avaliar restaurantes da região, na comida e na relação com o vinho, destacando aqueles que têm melhor mise en place, espaço, empratamento, atendimento, harmonização vínica, serviço de vinhos, carta de vinhos, prova teórica e prova prática, a que estão submetidos durante a formação; e o ‘Tejo Anima’, vertente que premeia o território e as suas valências de lazer, sendo, por isso, promovido pela Rota dos Vinhos do Tejo. Neste caso, há sete categorias: alojamento em turismo rural; empresa de animação turística; enoturismo; natureza; património e oferta cultural; e tradições.

Nota para a XI edição do ‘Concurso Vinhos do Tejo’, que teve nesta edição a mais concorrida de sempre, em número de vinhos, que atingiram quase as duas centenas: 195 para sermos mais precisos. As provas, em regime de prova cega, decorreram no Hotel dos Templários, durante os dias 13 e 14 de Maio, perante uma comitiva alargada de jurados, composta por sommeliers, wine educators, jornalistas, bloggers de vinhos, assim como enólogos e representantes de algumas câmaras de provadores, da CVR Tejo e outras regiões vínicas do país.

PUBLICIDADE
Leia também...

Mercadona cria 65 novos empregos com abertura de nova loja em Santarém

Em 2022.

Mercadona constrói maior bloco logístico da empresa em Almeirim

A Mercadona, maior cadeia espanhola de supermercados, anunciou que vai construir um…

‘Casa em Santarém’ nomeada para o prémio internacional de arquitectura

O projecto ‘Casa em Santarém’ da empresa dp arquitectos está nomeado para…

Moinho de Fau e Restaurante no Jardim das Portas do Sol colocados em hasta pública

A Câmara Municipal de Santarém vai realizar um hasta pública, no próximo…