O ISLA de Santarém assinalou sábado, dia 26, no Convento de São Francisco, os seus 38 anos, assumindo o compromisso de continuar a ministrar um “ensino de excelência”.
Na sua intervenção, Domingos Martinho, director da instituição, destacou o crescimento que o ISLA de Santarém tem tido nos últimos anos, apontando 2022 como o ano em que essa trajectória vai ser intensificada.

Aumentar e melhorar as instalações do ISLA, aumentar a oferta formativa e captar novos estudantes são os grandes objectivos da instituição que se assume, cada vez mais, “como uma Escola de excelência”.

“Em 2019, quando pela última vez tivemos oportunidade de festejar o aniversário do ISLA Santarém, sublinhei que a reestruturação do projecto educativo, científico e cultural do ISLA Santarém iniciada em 2012 tinha com objectivo posicionar o ISLA Santarém como uma escola de excelência. A comunidade académica do ISLA aceitou desde a primeira hora o desafio e julgamos que os resultados, mais do que as palavras mostram que estamos no caminho certo”, afirmou o responsável.

Actualmente, o ISLA tem em funcionamento 12 cursos técnicos profissionais, seis licenciaturas, três mestrados e 19 cursos de formação pós-graduada, sendo que, no próximo ano lectivo, a instituição vai oferecer mais três novos cursos TeSP, uma licenciatura, um mestrado e oito novos cursos de pós-graduação e MBA.

“Este número de cursos nas várias ofertas supera todos os indicadores que havíamos definido no plano estratégico para 2023. No ISLA, quando pensamos em novas ofertas, procuramos ir ao encontro das áreas em que identificamos carências na região e para as quais dispomos de capacidades e competências. Aliás este é um aspecto que permanentemente se encontra presente na estratégia do ISLA queremos oferecer novas oportunidades de formação e não duplicar as ofertas já existentes”, afirmou Domingos Martinho.

Em relação à dimensão Investigação e Desenvolvimento (I&D), o director do ISLA de Santarém afirmou que a instituição tem vindo a percorrer “um trajecto de melhoria que é reconhecido pelas Comissões de Avaliação Externa que regularmente avaliam os cursos”, tendo acrescentado que, nos últimos cinco anos, “o corpo docente publicou um número crescente de artigos em revistas internacionais com revisão por pares relevantes”.

Na sua intervenção, o director do ISLA de Santarém destacou também a “dimensão internacionalização” da Escola, que passa pelo desenvolvimento de projectos de mobilidade, pelo envolvimento de docentes e estudantes em projectos de investigação e pela captação de estudantes estrangeiros.

“O ISLA sente-se cada vez mais como um parceiro reconhecido e acarinhado pelas entidades publicas e privadas da região. Temos cada vez mais instituições e empresas de todas as áreas de actividade que estabelecem parcerias com o ISLA”, afirmou.

Segundo disse, “o incremento das políticas sociais constitui outro dos pilares do aprofundamento da nossa integração na região e tem sido concretizado através dos protocolos de descontos de propinas formalizados com centenas de entidades e do apoio directo através do programa de bolsas para os que são da nossa terra através do qual atribuímos um financiamento de 1.500€/ano a 30 estudantes da nossa região para estudarem no ISLA visando incentivar e apoiar a frequência do ensino superior pelos estudantes que residem habitualmente na nossa região, contribuindo deste modo para a sua fixação no território”.

“O percurso dos últimos dez anos só foi possível porque temos professores e funcionários não docentes dedicados e empenhados. Nunca desistiremos de lutar pela liberdade de ensinar e de aprender em Portugal. Nunca desistiremos de fazer o que a região precisa e mais ninguém faz. Santarém pode contar com o ISLA porque o ISLA não desiste”, garantiu.

Dirigindo-se, em particular, aos alunos, Domingos Martinho afirmou: “quando escolhem o privado, os estudantes têm todas as garantias que a acreditação foi feita, que o curso tem qualidade e passa pelos mesmos crivos do ensino público”.

“Vocês e as vossas famílias com a vossa escolha, deram não só um contributo relevante para a erradicação do preconceito em relação ao ensino privado, mas também um contributo relevante para a afirmação do nosso País como um país moderno e desenvolvido colocando-o a par dos países mais desenvolvidos da Europa e do mundo em que o critério para escolha de um curso é a qualidade”, acrescentou.

“Estamos certos que a formação e qualificação que obtiveram no ISLA vos permitirá enfrentar o mercado de trabalho com confiança e vos proporcionará o merecido sucesso. Podem contar com o ISLA em qualquer momento e em qualquer circunstância da mesma forma que nós sabemos que podemos continuar a contar convosco para como membros da família ISLA, elevarmos cada vez mais alto o nome da nossa Escola”, concluiu.

Em 1984 tiveram início, no ISLA de Santarém, os dois primeiros cursos, iniciando-se um percurso que, ao longo de 38 anos, contou com o empenho e a dedicação de muita gente – administradores, professores, funcionários, parceiros institucionais, e sobretudo, dos estudantes que desde a primeira hora acreditaram na instituição.

Este sábado, a instituição comemorou 38 anos de existência com uma sessão solene no Convento de São Francisco, onde ocorreu, da parte da tarde, a entrega de 80 prémios de mérito e cerca de 160 diplomas a estudantes da instituição.

Filipe Mendes

Leia também...

Docente do IP Santarém recebe menção honrosa internacional

Premiado projecto “Escape Room: Ideia de inovação e Desenvolvimento”.

Agrupamento de Escolas Ginestal Machado com mais de 300 estudantes positivos à Covid-19

Agrupamento vai realizar um testagem massiva.

Alunos e professores estreiam novas instalações da Escola do Sardoal

Os alunos e professores da Escola Básica e Secundária Drª Maria Judite…

VÍDEO | Escola D. João II, em Santarém, recebe Sala do Futuro

Foi inaugurada esta quinta-feira, 26 de Setembro, na Escola D. João II,…