Regresso às aulas, a situação dos lares e centros de dia e “Festa do Avante”

Caros Amigos e Amigas,
Num tempo que é de férias para muitos portugueses, deixem-me começar por desejar a todos vós excelentes momentos com as vossas famílias e os vossos amigos, nestes que são tempos diferentes, até na forma como usufruímos deste nosso habitual tempo de lazer, que tão necessário é para quem, durante resto do ano, se dedica à sua profissão.

Com o Parlamento também em férias, pouco vos posso dizer sobre a vida na casa da democracia, apenas que o Grupo Parlamentar do PSD está atento a três questões que marcam a atualidade da discussão política: o regresso às aulas, a situação dos lares e centros de dia e o incontornável tema da realização da “Festa do Avante”.

Começando por vos falar deste último, é com preocupação que vejo que tal evento se possa realizar, dados os riscos a que é exposto quem nele participar. E aqui penso que deveria ter ido seguido o exemplo dado por todos os restantes partidos com assento parlamentar, que cancelaram todas as suas atividades. Recordo que o PSD também tem duas grandes festas que não se realizarão este ano, o Pontal e o Chão da Lagoa, “seguindo as regras do bom senso, e de respeito pela lei e pela saúde de todos” como salientou Rui Rio.

PUBLICIDADE

É certo que não devemos nem podemos proibir eventos e manifestações partidárias, mas também é certo que um partido responsável, histórico e com assento parlamentar, devia, na época em que vivemos, colocar a saúde pública como prioritária face à mensagem política, que hoje tem tantas formas de ser veiculada sem necessitar de ajuntamentos de pessoas.

O regresso às aulas é também foco de atenção, pois as escolas têm que estar devidamente preparadas para receber os milhares de alunos que regressam aos estabelecimentos escolares no mês de setembro. Se o final do ano letivo anterior foi estranho e inesperado, o regresso às aulas num novo ambiente, com novas regras, será igualmente estranho e perturbador para os jovens que vêm na escola, para além de um local de aprendizagem, o ponto de encontro e convívio com os amigos. Aguardamos e esperamos que o Governo consiga cumprir o prometido no que diz respeito a contratações de professores e auxiliares e ao fornecimento de meios tecnológicos aos alunos mais necessitados, de forma a promover a igualdade no acesso ao ensino e a precaver, desta vez com a devida antecipação, um possível novo encerramento dos estabelecimentos escolares.

E, por fim, mantemos a atenção focada igualmente na situação dos Lares e Centros de Dia para os nossos idosos, a população que é mais vulnerável aos efeitos desta pandemia. Temos assistido a surtos em muitas destas instituições e cabe ao Estado aprender com os erros do passado e fornecer-lhes os meios necessários para minimizar os riscos que estes tempos nos trazem e, em simultâneo, fiscalizar se as mesmas cumprem escrupulosamente as regras em vigor. Afinal, os nossos cidadãos seniores, que dedicaram toda uma vida de trabalho ao país e às suas famílias, merecem-nos essa consideração e esse respeito.

E, por agora, resta-me desejar-vos muita saúde e cá nos encontraremos numa próxima edição do nosso Correio do Ribatejo.

Isaura Morais – Deputada do PSD eleita por Santarém

PUBLICIDADE

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS