Activistas alertam para “gravidade extrema” na Bacia do Rio Tejo

Na semana em que se comemora Dia Mundial do Ambiente, activistas ambientais do Ribatejo – Bacia do Rio Tejo, de forma anónima, colocaram alertas em árvores e postes no topo norte da praça central da cidade de Santarém.

Este alerta está directamente relacionado com a recente autorização das autoridades espanholas para dar continuidade da actividade e prolongar a vida da Central Nuclear de Alamaraz (construída em 1982 na região de Cáceres), até 2028.

Num parecer emitido no início do mês, o Conselho de Segurança Nuclear de Espanha deu “parecer técnico positivo e condicionado” para prolongar o funcionamento de um dos reactores de Almaraz até 2027 e outro até 2028, , acrescentando que Portugal.

PUBLICIDADE

O MIA – Movimento Ibérico Antinuclear, que congrega cerca de 50 associações ambientais da Península Ibérica, fez uma declaração pública em que considera que a mencionada decisão “é de uma gravidade extrema”.

Os activistas ambientais esperam pelo menos, que em toda a “Bacia do Rio Tejo, “possam ocorrer situações semelhantes a estes alertas, numa época com restrições de concentrações, devido à pandemia”.

PUBLICIDADE

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS