Amiais de Baixo organiza ‘as maiores festas’ do Ribatejo (C/Vídeo)

Uma das tradições mais marcantes da população da freguesia de Amiais de Baixo está de volta. As festas anuais decorrem entre os dias 22 e 26 de Fevereiro, com um cartaz recheado de música, animação e manifestações religiosas. As festas realizam-se desde 1847, sempre no fim-de-semana anterior ao Carnaval e já permitiram inscrever o nome da vila no Livro dos Recordes.

A vila de Amiais de Baixo, no concelho de Santarém, vai viver cinco dias de festa rija entre hoje, sexta-feira, dia 22, e 26 de Fevereiro, para celebrar o Mártir São Sebastião. A componente religiosa, corporizada nas procissões sempre muito concorridas, alia-se de forma harmoniosa à faceta profana de que são expoentes os espectáculos musicais e de fogo-de-artifício.

Na vila, a expectativa é grande: já há alguns anos que, nas festas, não eram organizados quatro concertos: ‘The Gift’ (22 de Fevereiro); Ana Moura (23 de Fevereiro) Tim + Orquestra Filarmónica 12 de Abril (dia 24) e Toy a 25 de Fevereiro são os nomes que compõem o cartaz Mas, para além dos concertos, nesta festa existem momentos particularmente típicos: aquele que atrai mais visitantes é o fogo de artifício de sábado à noite, o qual é antecedido pela procissão com os archotes ao cemitério para ir buscar
a imagem do arcanjo S. Miguel para a Igreja.

No domingo, há outra procissão que sai da igreja, com crianças vestidas a rigor, seguidas de várias imagens que percorrem o centro da vila, perante a forte adesão das pessoas, que, na passagem, cumprem as promessas, colocando nos andores as suas ofertas. Segundo os populares, esta procissão serve para mostrar ao Arcanjo S. Miguel as obras realizadas durante o ano.

Na segunda-feira, realiza-se a última procissão, na qual, o Arcanjo S. Miguel é reconduzido ao cemitério, à sua capela, onde permanecerá até à festa do ano seguinte. Esta última procissão carrega forte simbolismo, sendo particularmente comovente o momento da despedida do Arcanjo S. Miguel das outras imagens, representadas pela Padroeira, Nossa Senhora das Graças que regressa à Igreja em ambiente de tristeza. À noite, a comissão antiga entrega a bandeira à nova comissão.

Na terça-feira de manhã, há a apresentação da nova comissão de festa, com um pequeno cortejo pelas ruas da vila. Durante a tarde, realiza-se o leilão e à noite a despedida da banda musical.

Para além das procissões serem reveladoras da forte devoção das gentes de Amiais, as festas são, em si, um momento extraordinário de convívio onde sobressai o espírito hospitaleiro e acolhedor da população.

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS