Breve resumo histórico do xadrez pelo Distrito de Santarém

Em jeito de lembrança a algumas mentes e vozes de arautos que, particularmente nos dois últimos anos, se têm levantado como figuras (?) do xadrez ribatejano e também como memória futura, aqui deixo algumas considerações sobre o tema!

Fundado em 1976, o Grupo de Xadrez de Santarém (GXS) reuniu, ao longo dos anos os melhores jogadores da Cidade, dos quais destaco Martinho Lopes, Victor Ferreira, José Cachado, Carlos Nascimento, Carlos Januário e ainda Mário Pó, Joaquim Flor, Ernesto Pereira, Fausto Ribeiro, Eurico Seco, Manuel Vargas, Álvaro Marinha de Campos!

De 1976 a 1983, conquistou o GXS vários títulos de campeão distrital individual e por equipas, tendo participado em 3 campeonatos nacionais de equipas, com excelentes resultados, sendo de salientar o excelente 3º lugar no campeonato nacional coletivo em 1979, em Soure, com uma equipa constituída pelo Martinho, Carlos Nascimento, Victor Ferreira, José Cachado e Joaquim Flor e também, em 1983, a disputa das meias finais da Taça de Portugal, com uma equipa constituída pelo Martinho, Carlos Nascimento, Victor Ferreira, José Cachado e Fausto Ribeiro!

PUBLICIDADE

Ao longo desses anos, também com participações relevantes noutros torneios, dos quais se destacam campeonatos nacionais de partidas rápidas e semi- rápidas individuais e coletivos, com excelentes resultados, sendo de realçar a participação em dois grandes torneios internacionais em Vilamoura, a convite da organização!

De 1984 a 1997, por falta de condições em Santarém, alguns dos melhores jogadores do Distrito juntaram-se em Rio Maior, dos quais saliento Martinho Lopes, Victor Ferreira, Carlos Nascimento, Pedro Vinagre, Luís Rebelo Sousa, José Eduardo Deus, Vítor Simões, Eduardo Reis, Carlos Adrião, José Vinagre, Edmundo Espírito Santo, Manuel Magalhães!
Neste período, para além de mais títulos de campeões distritais individuais e coletivos, salienta-se a participação em seis campeonatos nacionais de equipas, todos com muito bons resultados, para além das participações na Taça de Portugal e em centenas de torneios, quer a nível distrital, quer nacional!

Saliente-se que, no final deste ciclo, fomos publicamente homenageados pela Câmara Municipal de Rio Maior, com a medalha de mérito desportivo!
De destacar ainda que, entre os anos de 1977 e 1988 alguns destes jogadores, Pedro Vinagre, Carlos Nascimento, Victor Ferreira, José Cachado, Vítor Simões, António Farracho, Carlos Januário, Fausto Ribeiro, Manuel Magalhães disputaram vários campeonatos e torneios do Inatel, tendo-se sagrado campeões nacionais por três vezes, em representação da Casa do Povo de Santarém (1) e Sindicato dos Bancários do Sul e Ilhas (2), para além de outras honrosas classificações em vários torneios!

Nos dez anos seguintes (1998-2008) com o final do Clube Riomaiorense, e com o apoio do Luís Fidalgo, continuámos a jogar pelo Café Kabab, já não jogando o Martinho Lopes, mas disputámos, mesmo assim, vários campeonatos distritais e nacionais da 2ª e 3ª divisões!

Em 2008, com o apoio do António Russo, iniciámos outro projeto, desta vez em Alpiarça, com o nome de Casa do Xadrez, aonde, até 2019, alinharam os mais antigos, Victor Ferreira, Carlos Nascimento, Pedro Vinagre, José Vinagre, António Russo, Luís Frazão, a quem se juntaram os mais novos, Pedro Diogo, Miguel Barriga, Luís António, Pedro Malaca!

De salientar que continuámos a disputar campeonatos distritais e nacionais, sendo o top atingido em 2016, com a subida à 1ª Divisão Nacional de Equipas e a disputa do respectivo campeonato nacional, no Porto, quarenta anos (e repito, quarenta anos) depois do primeiro, pelo GXS!
Dessa equipa fizeram parte, Victor Ferreira, Carlos Nascimento, Pedro Vinagre, Pedro Diogo e Luís António!

Fomos, posteriormente, homenageados publicamente pela Câmara Municipal de Alpiarça, com a medalha de mérito desportivo!
De grande relevo ainda, saliento o título de Campeão Nacional de Veteranos conquistado em 2014 pelo Victor Ferreira, tendo participado nesse mesmo ano no Europeu de Veteranos!

Penso que faltou apenas o reconhecimento do próprio Município de Santarém, por todo o trabalho desenvolvido a vários níveis, ao longo destes quase 45 anos!

Ao longo deste resumo de uma parte da história do xadrez scalabitano e ribatejano, a nível de competições, não consegui lembrar-me de ter visto o nome dos faladores de hoje; onde estiveram?

Opinião de Carlos Nascimento

PUBLICIDADE

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS