O município do Cartaxo continua a ser um dos mais endividados do país, figurando na quarta posição do “ranking”, segundo o Anuário Financeiro dos Municípios Portugueses, relativo ao ano de 2021, revelado a 7 de Novembro, pelo Centro de Investigação em Contabilidade e Fiscalidade do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave do Centro de Investigação em Ciência Política da Universidade do Minho.

Segundo o documento, o município contraiu um empréstimo de 52 milhões de euros ao Fundo de Apoio Municipal, dos quais recebeu uma tranche de 49 milhões em 2017, dois milhões em 2018 e o restante em 2019. No final de 2021, o documento mostra que o município tem a pagar, ainda, 49,9 milhões de euros.

O relatório indica ainda 47,6% dos gastos do município são para pagamento das despesas com pessoal, figurando em segundo lugar na lista de municípios que mais gasta com funcionários, superado apenas pelo município de Redondo.

Entre 2010 e 2021 a Câmara Municipal do Cartaxo desembolsou perto de 16 milhões de euros com o pagamento de juros. O documento refere que entre 2010 e 2013 foram pagos 2,4 milhões, entre 2014 e 2017 9 milhões, e entre 2018 e 2021 4,3 milhões de euros. O documento refere ainda que há cerca de 18 milhões de euros a receber devido a dívidas ao município.

O documento conclui ainda que o Cartaxo apresenta um índice de 374% de dívida total, em relação à média das despesas correntes dos últimos três anos, que se fixa num valor de 14 milhões de euros.

Leia a notícia desenvolvida na edição impressa de 18 de Novembro do Correio do Ribatejo.

Leia também...

Músico dos Santos & Pecadores morre vítima de acidente de trabalho em Tremez

Rui Martins, um dos músicos da banda Santos & Pecadores, morreu na…

Alterações ao Código da Estrada entram em vigor amanhã com multas agravadas

As alterações ao Código da Estrada aprovadas em Novembro entram na sexta-feira,…

Médico detido por abuso sexual de menores

Um homem de 27 anos foi detido esta manhã no Bairro de…

PSP apreende mais de 250 de aves na Avisan

Levantados três autos de contra-ordenação.