58ª Feira Nacional de Agricultura / 68ª Feira do Ribatejo foi inaugurada pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que chefiou uma comitiva que integrou a ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes e autarcas da região. O chefe de Estado saudou o “salto” dado pela agricultura portuguesa nos últimos anos e disse ser “muito motivador” poder tirar-se proveito da dinâmica do sector num momento em que existe uma guerra.

O Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas (CNEMA) abriu sábado portas à 58ª Feira Nacional de Agricultura / 68ª Feira do Ribatejo, certame que este ano se realiza sob o tema “Tecnologia e Inovação”. Até ao próximo domingo, dia 12, os visitantes são convidados a conhecer um sector dinâmico, moderno e em constante evolução, mas que nunca perde de vista a herança do passado. A FNA|22 foi inaugurada pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, chefiando uma comitiva que integrou a ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, tendo destacado, precisamente, a evolução que a Agricultura Nacional tem registado e elogiou a organização do certame que continua a ser a principal montra desta actividade económica do País.

O chefe de Estado saudou o “salto” dado pela agricultura portuguesa nos últimos anos e disse ser “muito motivador” poder tirar-se proveito da dinâmica do sector num momento em que existe uma guerra.

Instado a comentar declarações da ministra sobre a intenção de Portugal duplicar a sua produção de cereais, Marcelo disse que essa aposta “é uma boa notícia”, porque o país tem condições e “porque há uma situação e um contexto envolvente que convida a isso”.

Falando aos jornalistas a meio da visita à Feira da Agricultura, depois de cerca de duas horas de contactos com expositores e agricultores, o Presidente afirmou encontrar um certame “mais forte, mais virado para o futuro, mais dinâmico”, referindo-se à forte presença da tecnologia.

Este ano subordinada ao tema “Bem-vindo ao futuro”, a Feira Nacional da Agricultura (FNA) dá destaque à inovação e à tecnologia, dedicando o espaço dos claustros a uma mostra de exemplos do uso, pelo sector, da biotecnologia, da robótica e da inteligência artificial.

Para Marcelo, a evolução patente no certame deve-se, “em muito, ao mérito” dos agricultores e daqueles que os representam. Além da presença de empresas da fileira agrícola e da exposição de raças autóctones, a FNA dedica um dos seus pavilhões a uma mostra do “melhor da produção nacional”, com realização de provas de degustação, dispondo, ainda, de espaços de restauração e momentos de reflexão e debate sobre temáticas agrícolas.

Segundo Luís Mira, administrador do CNEMA, a agricultura portuguesa está num ciclo de crescimento, quer na produção, quer nas exportações. No entanto, adverte, “é necessário apoiar o sector e adaptá-lo às novas realidades tecnológicas.

Sem estas inovações, as empresas irão ter mais dificuldades. O País tem de aproveitar as mais-valias naturais de que dispõe e apostar na cultura de produtos em que tem mais vantagens. Quanto aos constrangimentos, a pandemia mostrou que a agricultura é um sector resiliente.

Na crise de 2008 (crise financeira) ou de 2020/2021 (Covid) o sector continuou a crescer em exportações e não sofreu impactos negativos”.

A FNA22 conta este ano com algumas novidades. Desde logo, uma exposição de soluções tecnológicas ligadas à inovação e que decorrerá num dos espaços mais nobres da Feira Nacional de Agricultura: os Claustros.

A área de gastronomia, nomeadamente a zona dos restaurantes, foi alargada, de modo a possibilitar mais comodidade aos visitantes. Relativamente à Tradição Ribatejana, realce para a 1ª Exibição Ibérica de Atrelagem de Tradição e na área da animação realçe para o regresso dos espectáculos, tão do agrado do público mais jovem.

No âmbito feira, decorre o Salão Prazer de Provar que proporciona ao consumidor o acesso a alguns dos melhores produtos nacionais – Azeites, Queijos, Enchidos, Doces, Méis, entre outros – e contará com um espaço dedicado do programa Portugal Sou Eu, iniciativa

que visa o incremento da produção nacional. Paralelamente, realizam-se acções de ‘Cozinha ao Vivo’, com o objectivo de promover e degustar produtos alimentares de expositores participantes no Salão Prazer de Provar.

Para além disso, decorre, ao longo do certame, um programa de animação e concertos: esta sexta-feira, 10 de Junho, dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, o destaque é dedicado a Syro.

FERSANT dá a conhecer dinâmica empresarial de Santarém

Integrada na FNA, decorre a Feira Empresarial da Região de Santarém, certame empresarial organizado pela NERSANT – Associação Empresarial da Região de Santarém, com o objectivo de promover o dinamismo económico da região.

63 empresas de diversos sectores de actividade, em especial da indústria, comércio e serviços, estão em exposição no certame, que já vai na 33.ª edição.

Na nave B, onde se realiza a FERSANT, para além das 63 empresas presentes, o Presidente da República encontrou um espaço dedicado ao emprego e formação, iniciativa da NERSANT para promover o emprego e a oferta formativa da região.

Domingos Chambel, presidente da direcção da NERSANT, Marcelo Rebelo de Sousa e a Ministra da Agricultura no stand da NERSANT, onde começou por referir o bom desempenho das exportações da região no último ano, acima da média nacional, apresentando de seguida o espaço emprego e formação. De seguida, os corredores da Nave B do CNEMA, foram percorridos por Marcelo e Maria do Céu Antunes, acompanhados pelo presidente do NERSANT, que foi apresentando as empresas participantes ao longo do percurso, com especial relevo para a indústria, comércio e serviços, que a comitiva teve a oportunidade de conhecer.

FERSANT Digital até ao fim do mês

Paralelamente à exposição presencial, a FERSANT possibilita ainda a cada um dos expositores, a participação, até ao final do mês de Junho, na FERSANT Digital, certame que arrancou no dia 4 de Junho, no portal Compro no Ribatejo, em https://compronoribatejo.pt/feira/xxxiii-fersant-2022-digital.

Assim, aos visitantes que não puderem visitar presencialmente o certame, a NERSANT dá a possibilidade à comunidade de conhecer e realizar negócios com as empresas expositoras na 33.ª edição da feira.

De referir que a FERSANT tem vindo a assumir-se como um importante espaço de trocas comerciais e conhecimento entre as empresas da região, o que se tem verificado quer pelo número de visitantes, quer pelo número de empresas e entidades interessadas em mostrar os seus serviços ou produtos neste espaço, que tem aumentado a cada ano.

Leia também...

Músico dos Santos & Pecadores morre vítima de acidente de trabalho em Tremez

Rui Martins, um dos músicos da banda Santos & Pecadores, morreu na…

Alterações ao Código da Estrada entram em vigor amanhã com multas agravadas

As alterações ao Código da Estrada aprovadas em Novembro entram na sexta-feira,…

PSP apreende mais de 250 de aves na Avisan

Levantados três autos de contra-ordenação.

Homem morre esmagado em acidente de trabalho em Alpiarça

Um homem morreu num acidente de trabalho, esmagado por uma máquina de…