COVID-19: O que se sabe e não sabe sobre a nova epidemia?

O surto do novo coronavírus surgido na China em Dezembro e que provoca pneumonias virais tornou-se numa epidemia que já alastrou a mais de 100 países, causando mais de 3.800 mortos e infecções em cerca de 110 mil pessoas.

Eis algumas perguntas e respostas sobre o novo coronavírus, que provoca a doença denominada Covid-19, com base em informações do Centro Europeu de Controlo de Doenças, da Direcção-Geral da Saúde (DGS) e da Organização Mundial da Saúde (OMS), e em peritos e investigadores chineses:

O que é um coronavírus?
Os coronavírus são uma família de vírus conhecidos por causar doença no ser humano. A infecção pode ser semelhante a uma gripe comum ou apresentar-se como doença mais grave, como pneumonia.

PUBLICIDADE

O que é este novo coronavírus?
O novo coronavírus, designado Covid-19, foi identificado pela primeira vez em Dezembro de 2019 na China, na cidade de Wuhan. Este novo agente nunca tinha sido identificado antes em seres humanos.
O covid-19 é o mesmo que o SARS (Síndrome Respiratório Agudo Grave?)
Não. Os coronavírus são uma família larga de vírus e o Covid-19 não é igual ao que causa o SARS. Contudo, análises genéticas demonstram que são relacionados.

Como se transmite?
A Covid-19 transmite-se por contacto próximo com pessoas infectadas pelo vírus, através de gotículas libertadas pelo nariz ou boca quando tossem ou espirram, ou por superfícies e objectos contaminados.
Os animais domésticos podem transmitir o Covid-19?
Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), não há evidência de que os animais domésticos, tais como cães e gatos, tenham sido infectados e que, consequentemente, possam transmitir o Covid-19.

Há grupos de maior risco?
Pessoas de todas as idades podem ser afectadas pelo novo coronavírus. Contudo, pessoas mais velhas ou com doenças crónicas (como asma ou diabetes) parecem ser mais vulneráveis a ter doença grave quando infectadas. As autoridades destacam, contudo, que não há ainda informações suficientes para definir as pessoas atacadas de modo mais severo. Um estudo divulgado pelo Centro Chinês de Controlo de Doenças indica que 80% dos casos da infecção são ligeiros, que apenas 4,7% são considerados críticos e que as pessoas idosas ou com problemas de saúde prévios à infecção são as que correm mais riscos.

Quais os sinais e sintomas?
As pessoas infectadas podem apresentar sinais e sintomas de infecção respiratória aguda como febre, tosse e dificuldade respiratória. Em casos mais graves pode levar a pneumonia grave com insuficiência respiratória aguda, falência renal e de outros órgãos e eventual morte.

Qual o período de incubação?
O período de incubação ainda se encontra sob investigação, mas estudos apontam para os cinco dias.

Existe uma vacina?
Não existe vacina. Sendo um vírus recentemente identificado, estão em curso as investigações para o seu desenvolvimento.

Existe tratamento?
O tratamento é dirigido aos sinais e sintomas apresentados devido à infecção.

Os antibióticos são efectivos a prevenir e a tratar o novo coronavírus?
Os antibióticos não são efectivos contra vírus, apenas contra bactérias. O Covid-19 é um vírus e, como tal, os antibióticos não devem ser usados para a sua prevenção ou tratamento. Não terá resultado e poderá contribuir para o aumento das resistências a antimicrobianos.

Quando se deve fazer o teste específico para o novo coronavírus?
Na presença de sintomas de doença respiratória e se nos 14 dias anteriores o doente esteve numa região afectada ou em contacto com pessoas infectadas. As autoridades portuguesas recomendam que se contacte o SNS24 – 808 24 24 24 – no caso de ter sintomas e ter estado em contacto com doentes e numa região afectada.

Qual o risco?
A avaliação de risco encontra-se em actualização permanente, de acordo com a evolução do surto. O Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças e a DGS emitem comunicados diários com o sumário da informação e recomendações mais recentes.

Como se pode prevenir?
A prevenção passa essencialmente por medidas de higiene e etiqueta respiratória: lavagem frequente das mãos, evitar contacto próximo com pessoas com febre ou tosse e ao tossir ou espirrar fazê-lo não para as mãos, mas antes para o cotovelo ou antebraço ou para um lenço que deve ser de imediato descartado. Deve ainda evitar-se contacto directo com animais vivos em mercados ou áreas afectadas por surtos e o consumo de produtos de animais crus, sobretudo carne e ovos.

É recomendado o uso de máscaras?
Segundo a situação actual em Portugal, não está indicado o uso de máscara para protecção individual, excepto nas seguintes situações: pessoas com sintomas de infecção respiratória (tosse ou espirro), suspeitos de infeção por Covid-19 e pessoas que prestem cuidados a suspeitos de infeção.

Como viajante, o que devo fazer?
A OMS não recomenda, nesta fase, restrições de viagens e trocas comerciais para a China. Se a pessoa tiver como destino a China, deve seguir as recomendações das autoridades de saúde do país e as recomendações da OMS. Para viajantes regressados das áreas afectadas e que apresentem sintomas sugestivos de doença respiratória, durante ou após a viagem, antes de se deslocarem a um serviço de saúde, devem ligar 808 24 24 24 (SNS24), informando sobre a sua condição de saúde e história de viagem, seguindo as orientações que vierem a ser indicadas.

É seguro receber cartas ou encomendas da China?
A OMS considera que sim. Até ao momento, não é conhecida a capacidade de transmissão da doença através do contacto com superfícies ou objectos, pelo que as precauções a ter são as relacionadas com medidas gerais de higiene

O que é um contacto próximo?
Pessoa com exposição associada a cuidados de saúde, incluindo prestação de cuidados directos a doente com Covid-19, contacto em ambiente laboratorial com amostras da infecção, visitas a doente ou permanência no mesmo ambiente de doente infectado pela doença. Contacto em proximidade ou em ambiente fechado com um doente com infecção por Covid-19 (exemplo sala de aula).

Qual o risco para cidadãos europeus?
O Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças considera que existe, neste momento, uma probabilidade “moderada a elevada” de importação de casos nos países da União Europeia/Espaço Económico Europeu.

O pico da doença já foi atingido?
Geralmente, em doenças virais, como no caso da gripe, só se sabe quando o pico foi atingido quando há consistência na descida do número de casos.
Segundo a directora-geral da Saúde, Graça Freitas, ninguém pode saber quando irá acontecer, afirmando que “quem avança com alguma previsão está a especular”.

Qual a taxa de mortalidade do Covid-19?
Segundo a OMS, o novo coronavírus é mais perigoso do que o vírus da gripe, apresentando uma taxa de mortalidade de 3,4% (para a gripe é menos de 1%).

Trabalhadores que tenham de ficar em quarentena em Portugal perdem salário?
Segundo um despacho do Governo, na Administração Pública não. Os trabalhadores podem ficar em regime de teletrabalho ou fazer formação à distância, sempre que aplicável.

Os serviços públicos devem elaborar planos de contingência para o surto de Covid-19?
Sim, de acordo com o mesmo despacho. Os serviços ficam obrigados a elaborá-los segundo as recomendações da DGS.

Quem define o encerramento das escolas?
Os delegados de saúde regionais decidem se a comunidade escolar tem de ficar em isolamento social e se basta suspender as aulas em algumas turmas ou encerrar a escola. As escolas tiveram até segunda-feira para entregar os planos de contingência à Direcção-Geral da Administração e Emprego Público.

O que muda na Igreja?
A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) determinou a comunhão na mão, a comunhão por intinção [molhar a hóstia no vinho consagrado] dos sacerdotes concelebrantes, a omissão do gesto da paz (saudação) e o não uso da água nas pias baptismais.

Que destinos são desaconselhados?
O gabinete da Secretária de Estado das Comunidades desaconselhou a realização de qualquer viagem à província chinesa de Hubei, a diversas regiões de Itália e viagens não essenciais a vários locais da China, Irão e Coreia do Sul.

Quais as orientações para os estabelecimentos prisionais?
As visitas a estabelecimentos prisionais da região Norte foram suspensas temporariamente. Em todo o país, estão suspensas aos fins de semana, devendo estas ter lugar em dias úteis e limitadas a um máximo de dois visitantes por recluso.

Quais as orientações para hospitais e lares?
Existem apenas orientações para visitas a hospitais e lares da região Norte. As visitas foram suspensas temporariamente.

PUBLICIDADE

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS