Esterilização de animais errantes é estratégia para combater abandono em Santarém

O Município de Santarém está a realizar campanhas de esterilização e as primeiras intervenções já permitiram devolver ao seu meio, vários gatos pertencentes a colónias.

O objectivo das iniciativas é implementar uma política de gestão que conduza à redução do abandono animal e à proliferação de animais vadios e errantes, promovendo uma resposta efectiva às necessidades do concelho.

A informação foi prestada na reunião de Câmara realizada no passado dia 23 pelo vereador Ricardo Rato (PSD), que respondia a uma questão colocada pelo PS sobre se a autarquia estaria a ponderar, à semelhança do que acontece na Chamusca, alargar campanhas de esterilização aos animais de companhia domésticos, como cães e gatos.

PUBLICIDADE

Segundo referiu o vereador, a prioridade do executivo, neste momento, é actuar nos animais de rua e nos que estão no canil municipal e da Associação Scalabitana de Protecção Animal (ASPA).

Os técnicos da autarquia estão a trabalhar em conjunto com a ASPA e outros grupos informais que cuidam de animais abandonados sendo um dos projectos em estudo a criação de apoios às famílias carenciadas que têm animais de companhia.

O objectivo destas medidas é controlar a população de animais errantes e eliminar o recurso à eutanásia. A Lei 27/2016 veio proibir o abate de animais errantes como forma de controlo populacional e deu um prazo de dois anos para a adaptação dos municípios ao novo procedimento legal, responsabilizando as autarquias pelo controlo do processo de esterilização.

PUBLICIDADE

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS