Estrada da Estação cortada temporariamente devido a perigo de desmoronamento

A Câmara Municipal de Santarém (CMS) vai construir um muro de protecção na zona a sul da estação ferroviária de Santarém e para isso necessita de proceder à escavação da encosta confinante, que apresenta actualmente grave risco de desmoronamento.

O perigo de derrocada daquela zona, com eventuais prejuízos/danos nas habitações existentes, justificaram o realojamento temporário dos residentes de uma habitação contigua ao local da intervenção, bem como na circulação rodoviária e pedonal e constrangimentos na circulação ferroviária da Linha do Norte.

A autarquia explica num comunicado, que a empresa Ancorpor- Geotecnia e Fundações, Lda., adjudicatária da empreitada, irá proceder à realização de trabalhos de escavação/desmonte da zona da encosta que se encontra em perigo, para posterior estabilização da mesma, e por forma a permitir a construção de muro de suporte de terras.

Devido à realização destes trabalhos, e por forma a garantir-se a segurança de pessoas e bens, está previsto o seguinte faseamento de condicionamentos de trânsito em duas fases distintas.

Na primeira fase, com um período prevista de três ou quatro dias, a CMS vai suspender a circulação rodoviária a todos os veículos, excepto veículos automóveis pesados, na Rua Bispo D. Freire Domingos Maria Frutuoso (ex-Estrada da Estação), no troço entre a Estação de Caminhos de Ferro de Santarém e a Calçada de Santa Clara. A alternativa para os restantes veículos será pelo interior da Ribeira de Santarém.

Na segunda fase, com a duração de quatro ou cinco dias, a via mais chegada à encosta estará condicionada ao trânsito, sendo efectuada regulação da circulação de veículos de forma alternada, com recurso a sistema de semáforos, na Rua Bispo D. Freire Domingos Maria Frutuoso (ex-Estrada da Estação), no troço entre a Estação de C.F. de Santarém e a Calçada de Santa Clara. Nesta fase, termina o percurso alternativo, sendo restabelecida a normal circulação pela ex-Estrada da Estação, com circulação alternada.

A autarquia avisa para o facto de, em face das condicionantes identificadas, conjuntamente com eventual agravamento das condições climatéricas, poderá verificar-se a necessidade de alteração dos períodos previstos para a 1ª e 2ª fases, como tal, e visando garantir eventuais dificuldades no comprimento dos prazos estabelecidos, contemplou-se um período de intervenção de 19 dias, embora os constrangimentos a nível da circulação rodoviária, devam respeitar apenas os dias indicados.

Estas obras fazem parte da empreitada do Projeto Global de Estabilização das Encostas de Santarém” (PGEES).

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS