FICOR 2018 valoriza a fileira da cortiça e o território

A décima edição da FICOR – Feira Internacional da Cortiça de Coruche, que decorre de 24 a 27 de Maio, foi apresentada na tarde da passada terça-feira, dia 15, no auditório do Observatório do Sobreiro e da Cortiça.

A FICOR associa-se este ano à celebração do Ano Europeu do Património Cultural, uma iniciativa da Comissão Europeia, que visa chamar a atenção para o papel do património no desenvolvimento social e económico.

Esta edição é também marcada pela divulgação e promoção de um conjunto de iniciativas que estão neste momento a ser implementadas através da Estratégia de Eficiência Colectiva PROVERE “Montado de Sobro e Cortiça”, liderada pelo município de Coruche, que visam alcançar dinâmicas de capacitação, animação e promoção do território.

A inauguração oficial será pelas 18h00 de dia 24, com a presença de Capoulas Santos, Ministro da Agricultura.

O programa da feira decorre em dois espaços, como vem sendo habitual, dividindo-se entre o Parque do Sorraia e o Observatório do Sobreiro e da Cortiça, principal polo desta fileira que une a investigação, a produção e a indústria.

No Parque do Sorraia, as actividades decorrem no exterior e no interior do Centro de Exposições, sendo que no Observatório decorrem as actividades mais científicas, conferencias e debates organizados em colaboração com diversos parceiros, além de visitas de campo, uma das novidades desta edição, complementando as visitas às indústrias. Neste local haverá também uma nova exposição internacional associada à inovação na cortiça, resultado de uma parceria do município com a Faculdade de Arquitectura da Universidade de Lisboa.

Muitas outras actividades vão decorrer nestes dias. Espectáculos musicais, mostra de vinhos e inovação, eventos desportivos, animação para crianças e exposições, num espaço expositivo que este ano apresenta um novo layout e decoração. O espaço ‘Wine & Cork’, que pela segunda vez estará no Centro de Exposições, este ano no piso térreo, onde irão marcar presença mais de uma dezena de produtores que irão reforçar a ligação entre o vinho e a cortiça.

A cortiça também será protagonista do ‘Coruche Fashion Cork’, um desfile de moda que desafia jovens designers a criarem com esta matéria prima. Este ano estarão no desfile as criações do designer Pedro Pedro, apresentadas por Vanessa de Oliveira.

Um dos pontos altos da edição de 2018 é a apresentação da marca “Montado de Sobro e Cortiça”, que terá lugar pelas 17h00 do dia 25 de Maio no Centro de Exposições. A marca “visa fortalecer as parcerias existentes, com os vários agentes da fileira e do território, com o objectivo de obter economias de escala para um forte reconhecimento e valorização do montado, tanto a nível nacional como internacional”, procurando tornar o território “melhor para viver, mais atractivo e competitivo para investir e diferenciador dos restantes produtos turísticos”, como refere o município de Coruche.

A gastronomia também marca presença na FICOR, estando localizada no Parque do Sorraia a Praça da Restauração e o espaço Sabores do Montado. É neste parque que também vai encontrar o palco principal, que irá acolher, pelas 22h00, os espectáculos de stand up comedy com Nilton no dia 24, concerto com Tiago Nacarato, dia 25 e o espectáculo da fadista Cuca Roseta no dia 26.

No domingo, dia 27, decorre a Corrida das Pontes, uma referência nacional em termos desportivos, que junta cerca de 700 atletas.

Francisco de Oliveira, presidente da Câmara Municipal, ao apresentar a edição deste ano, destacou a importância da iniciativa para o concelho e para o território, afirmando que o mesmo pretende “reforçar Coruche como marca, enquanto capital mundial da cortiça”, falando das novidades em termos de imagem e também sobre a importância do certame.

Para o presidente, sendo a cortiça um produto diferenciador e atractivo, os objectivos são “dotar de uma linguagem, de uma marca, diferenciadora em termos de território, promover os produtos endógenos e experiências em torno dos mesmos como atracções turísticas para nichos que já procuram muito este tipo de actividades”, sendo que para tal muito tem contribuído a implementação da Estratégia de Eficiência Colectiva PROVERE.

Referencia também feita por Francisco de Oliveira ao trabalho feito na internacionalização. “Ninguém é feliz sozinho”, sendo nesse sentido fundamental a internacionalização para o município, tendo hoje um observatório que é referencia para universidades e investigadores estrangeiros, é “uma aposta que queremos ganhar”, afirma, deixando a vontade de continuar a seguir com esta aposta.

info, , ,

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS