Fui eleita tendo por base a máxima “Santarém Precisa”

Sendo o Correio do Ribatejo uma referência regional da comunicação escrita da nossa Região, será com muito gosto que, ao longo dos próximos meses, participarei neste “Correio do Parlamento”, procurando transmitir-vos a forma como na casa mãe da nossa Democracia se tratam e debatem os assuntos que dizem respeito aos Portugueses e, em particular, aos habitantes deste nosso Distrito de Santarém.

Sendo uma estreante nos trabalhos parlamentares, penso que nestas minhas “cartas” vos posso trazer uma nova visão sobre os trabalhos parlamentares e sobre a efectiva influência das decisões que ali são tomadas na nossa sociedade.

Como sabem, candidatei-me e fui eleita tendo por base a máxima “Santarém Precisa”. E precisa, acima de tudo, de deputados que se comprometam com um trabalho sério e dedicado em prol da resolução dos problemas com que se confrontam, individualmente, os 21 concelhos deste nosso Distrito, sendo uma voz activa dos anseios das populações e dos Autarcas no Parlamento.

Os deputados devem conhecer as diferentes realidades de todo o distrito e contribuir para gerar entendimentos entre as várias entidades com responsabilidades no território, de forma a criar condições para que seja possível concretizar os investimentos públicos que ainda hoje são necessários em diversos domínios, casos da educação, saúde e vias de comunicação, por exemplo.

No meu caso em particular, e atendendo aos muitos anos de vida autárquica que antecederam a minha actual condição de deputada, tenho como principal preocupação a resolução das muitas situações que afectam directamente a qualidade de vida das pessoas ou o seu acesso a serviços de qualidade, que o Estado tem obrigação de prestar aos seus cidadãos.
Quero por isso ter um contacto muito próximo com aqueles que efectivamente actuam todos os dias no território, os autarcas, sejam eles Presidentes de Câmara ou de Junta de Freguesia. O trabalho de proximidade juntos das populações e das empresas de cada concelho e o conhecimento dos seus reais problemas e necessidades, deve ser a base para podermos, em conjunto com os poderes públicos, criar as condições para garantir que exista crescimento económico e que, por essa via, teremos um aumento dos rendimentos das famílias e melhor qualidade de vida.

Enquanto deputada eleita por este distrito olho com preocupação para o nosso Tejo. Este Rio é pai e mãe da nossa Lezíria, é um património natural insubstituível, essencial para a agricultura que a caracteriza, com todo um potencial turístico que está por descobrir, mesmo às portas de Lisboa, que é uma das cidades com mais crescimento de visitantes em todo o mundo. Devolver o esplendor de outros tempos ao Tejo deve ser um combate de todos os eleitos por este distrito, pois aqui as lógicas do jogo parlamentar e partidário não se podem nunca sobrepor à preservação de um recurso natural ímpar.

Até à próxima “carta” que vos farei chegar por intermédio do Correio do Ribatejo.

PARTILHE COM OS SEUS AMIGOS